Como fazer uma Road Trip na Itália? Dicas para viajar de carro pelo país

Uma das primeiras coisas no planejamento de uma viagem – após a escolha do destino – é: como você vai chegar lá? Se você está saindo do Brasil e vindo para a Europa, provavelmente já sabe que terá que chegar aqui por avião – ou barco. Mas como você vai rodar por entre os destinos internos que escolheu, aí sim, já é outra história! Nós já falamos um pouquinho nesse post (clica aqui) quais são as etapas e sites que levamos em consideração para planejar as nossas viagens. Mas hoje vamos falar daquelas viagens que são feitas essencialmente de carro! Bora entender como fazer uma road trip pela Itália? Bora!

Anúncios

Vantagens de uma Road Trip

Essas servem tanto para uma road trip pela Europa quanto pelo Brasil. As vantagens são muitas e, claro, variam de acordo com o tipo de viajante que você é. Elencamos abaixo as principais vantagens, ao nosso ver:

  • Dirigir – parece óbvio, mas para muita gente essa é uma das melhores partes da viagem. Imagina se você pega um daqueles carrões e dirige pela Autoban na Alemanha? É ou não é parte da diversão?
  • Fazer uma viagem no seu tempo – é você quem define os horários de partida e de chegada a cada um dos destinos. Você também quem decide quando vai dar uma paradinha nos postos de conveniência pelo caminho, para comer alguma coisa, tomar um café, ir ao banheiro.
  • Oportunidade de conhecer cidades desconhecidas pelo caminho. Você pode ver seu roteiro para incluir passadinhas rápidas por cidadezinhas que a maioria ignora porque está viajando de ônibus, trem ou avião.
  • Quitutes de viagem – desculpem, mas sou taurina – não tem nada melhor do que levar junto com você chocolate, salgadinhos, água e sei lá mais o que para acompanhar você durante a viagem.
  • Trilha sonora – é importante você preparar uma playlist (já baixada) bem da boa, com músicas animadas e relaxantes, para o caso de você cansar de ouvir a rádio local ou mesmo se o sinal da rádio não pegar quando você estiver passando por algumas estradas com muitos túneis ou no meio do nada.
Entre as vantagens da Road Trip: levar junto seus quitutes favoritos no carro

Desvantagens de uma Road Trip

Sim, também existem e também temos que falar sobre elas! Se você está nesse post, provavelmente, já conhece algumas vantagens e desvantagens, mas vale também citá-las aqui para termos em mente e, preparados, podermos pensar em estratégias para driblar os contratempos!

  • Dirigir – parece contraditório já que a vantagem também é essa, né? Mas isso é porque, como disse, depende muito do tipo de viajante que você é.
  • Possibilidade de pegar trânsito – sim e isso acontece com frequência. A flexibilidade no tempo da viagem também ajuda um pouco nesse sentido, porque você pode tentar escapar do trânsito se possível indo pelas estradas paralelas ou, como algumas vezes já fizemos, parar em algum posto – ou outlet no nosso caso, hihihi – e esperar o trânsito diminuir.
  • Possibilidade de ser multado – sim, isso também pode acontecer. Viajar por um país em que desconhecemos as regras de trânsito pode trazer uma surpresa desagradável no fim da sua viagem, fique atento!
  • Pedágio e combustível – é óbvio, mas leve em consideração esses gastos a mais no seu orçamento de viagem e veja se compensa para você. Nós gostamos de por tudo na ponta do lápis, levando em consideração todos os prós e contras.
  • Esteja preparado para os contratempos – manter o bom humor nessas horas é importante. Leve em consideração que os contratempos podem acontecer sim. Como no caso da foto abaixo, quando estávamos indo para Bolonha e o carro – conhecido no Instagram como Metapod – quebrou. Até o guincho chegar, deu tempo de passar a frustração e fazermos essa fotinho aí.
Perrengue nada chique: também vamos estar tendo

Aluguel do veículo

Bom, a primeira coisa que você precisa levar em consideração para uma road trip é: um carro! Pois sim, alugar um carro aqui na Europa é relativamente fácil: geralmente é pedido apenas um cartão de crédito (para bloquear um saldo do seu cartão e para o caso de acontecer alguma coisa com o carro) e uma carteira de habilitação – nós sempre alugamos com a CNH do Brasil. Mas atenção: você precisa disso para alugar o carro. Mas para guiá-lo, verifique junto aos órgãos competentes do país que você visitará se tem alguma outra documentação necessária. Por exemplo, na Itália e na Croácia, eu estava com a PID – Permissão Internacional para Dirigir. Ela foi emitida pelo Detran de São Paulo, antes de eu embarcar.

A gente sempre aluga pela Rent Cars e sempre ocorreu tudo bem. Eles pesquisam os preços das principais locadoras e oferecem às melhores soluções para seu aluguel, de acordo com o local e a data da retirada e da entrega do veículo. Também é possível fazer multitrechos, alugando em um lugar e devolvendo no outro – atente à esse ponto porque os valores podem sair bem mais caros.

Na hora de alugar o seu veículo, leve em consideração também o tamanho que seja o ideal para você. Por exemplo, quando alugamos nosso carro em Orlando (confira tudo sobre essa viagem aqui), para a viagem pelos parques da Universal e da Disney, apesar de não precisarmos de um carro grande apenas para ir aos parques, estávamos em quatro pessoas no carro – ou seja, as malas de todas essas pessoas precisariam caber. Levamos isso em consideração e alugamos esse carro aí embaixo. Para nós, não compensava alugar um carro menor e ir e voltar do aeroporto para poder levar as malas – ou contratar um serviço de transfer ou mesmo ir de taxi ou Uber. Por isso, optamos por alugar um caro maior e ter conforto durante toda a viagem, pois a diferença de preço era pequena.

Nosso “carrinho” por quase 20 dias em Orlando

Como montar um roteiro para uma Road Trip?

Bom, você já tem a playlist, as comidas, o carro, a paciência e a animação para dirigir. O que mais falta? Um destino! Montar um roteiro para uma road trip é tão – ou mais – importante do que a própria road trip. Tá, mas e se eu quiser sair por aí sem rumo? Perfeito! Pela Itália isso é totalmente possível já que existem sei-lá-quantas-centenas de cidadezinhas medievais maravilhosas para ir parando pelo caminho. Mas, vai por mim, acho melhor você ter uma noção básica de que cidades principais quer visitar.

A escolha das bases da viagem é importante mesmo se você estiver a bordo de um motorhome. Isso porque, abrir o mapa e planejar mais ou menos o seu roteiro pode fazer você passar por lugares muito bacanas – que talvez tivesse ignorado, caso não olhasse o mapa – e ao mesmo tempo deixa espaço para a flexibilidade de ir conhecendo as coisas no caminho. Na nossa ida para a Puglia, achamos que ir direto era muito puxado (seriam cerca de 10 horas de carro), então resolvemos parar em Ascoli Piceno, justamente o lugar onde o meu trisavô nasceu, e que depois deu origem à nossa família Carpani no Brasil. Legal né? Foi bem bacana ir até lá e dar uma voltinha pela cidade antes de pernoitar e seguir viagem.

Leia tudo sobre a nossa saga para o reconhecimento da cidadania italiana aqui.

E sabe porque é importante você se planejar também? Porque em cidades como Roma e Milão, por exemplo, o transporte público funciona bem. Então não compensa você estar de carro na cidade. Já em Veneza, por exemplo, não dá nem para entrar de carro na cidade. Aí às vezes você paga pelas diárias e deixa o carro em um estacionamento – pagando também pelo estacionamento. Por isso que o planejamento vai te ajudar a evitar isso, tendeu?

Anúncios

Sugestões de Road Trip na Itália

Continuo, então, com exemplos: primeira vez na Itália e seu sonho é conhecer as cidades principais da Itália de carro? Pois bem, talvez você possa pensar em um roteiro começando em Roma, subindo para Florença e terminando em Veneza – e no meio ainda dá para visitar Pisa e Verona – ou em Milão?

Você gosta mesmo é das cidadezinhas medievais, das estradinhas da Toscana e seu sonho é ziguezaguear por elas sem pressa? Nós fizemos uma viagem lindinha passando por Siena, San Gimignano e Volterra.

Já conhece as cidades acima – ou não e nem pretende – e quer ir além? Também fizemos uma road trip bem bacana, saindo de Milão e descendo até a região da Puglia – ou Apúlia (calcanhar da bota no mapa) -, onde ficamos uma semana rodando com o carro por cidadezinhas como Alberobello, Otranto, Lecce e muitas outras.

Outra possibilidade é fazer um roteiro de lagos, visitando o Lago di Garda, o Lago di Como e o Lago Maggiore, todos no norte do país. E por aí vai, porque tem muito mais por fazer! Nápoles, Capri, Cinque Terre, Costa Amalfitana, Calábria, Turim, Bolonha, San Marino. Tem tanta coisa nessa Itália que fica até difícil escolher! Veja que tipo de paisagem quer fazer, e quais as cidades mais ou menos próximas por ali.

E andar de carro por aqui é bem fácil, a única coisa que você precisa se atentar é se você não está entrando em uma ZTL – Zona de Tráfico Limitato, que é uma área – geralmente no centro histórico – onde você não é permitido entrar com o carro.

Como abastecer o carro na Itália?

Esse tópico é importante porque, veja bem, nós aqui já tivemos dificuldade. Na primeira vez que viemos para a Itália, em 2018, alugamos um carro para ir de Florença para Veneza e, na hora de devolver o veículo, precisávamos deixá-lo com o tanque cheio. Parece uma coisa besta, mas a verdade é que não é tão intuitivo para nós brasileiros abastecer o carro no exterior, principalmente se você nunca saiu do Brasil.

Porque eu to dizendo isso? Explico. Pelo menos na Itáliae também na Croácia pelo que me lembro – a maioria dos postos de combustível, não há frentistas. Ou, se há, eles cobram mais caro no preço do combustível pela “ajuda”. Então o ideal, para sua economia, é você mesmo ir lá abastecer o seu carro. Tá, e como faz?

Bom, se tiver uma lojinha de conveniência aberta, você pode entrar na lojinha e dizer que você quer abastecer na bomba X, e pagar para a pessoa quanto você quer abastecer. Aí ela vai liberar a bomba para você, você volta lá, abre o reservatório, e abastece. Praticamente é a mesma coisa caso você faça na máquina – que parece um caixa eletrônico. Você seleciona a bomba, coloca o tipo de combustível e insere seu cartão. Nesse caso, muitas vezes, eles “bloqueiam” um valor a mais no seu cartão (que na maioria das vezes foi de 100€) e devolvem o que você não usar desse bloqueio. Aí é só ir até a bomba de combustível, tirar a mangueira e colocar na entrada do reservatório e apertar o gatilho.

Outra dica é o tipo de combustível que você tem à disposição para abastecer. Geralmente são três, então é importante ver qual é o combustível do carro que você alugou. São eles: benzina (gasolina), benzina super (gasolina com mais octanas, mais poderosa), diesel e glp (que é o gás natural). Na maioria das vezes é possível checar qual é o tipo de combustível que você deve abastecer o carro no contrato de aluguel, onde estiver escrito “carburante“.

No fim o problema do Metapod (que parou na estrada) era no reservatório de combustível

Pedágio e estradas na Itália

Já começo dizendo que: pedágio na Itália não é algo muito barato – ainda mais se você pensar na conversão euro X real, mas não pense nisso, meu caro amigo. As estradas pedagiadas são muito boas, a velocidade máxima, geralmente, é de 130km/h e são retas que não acabam nunca mais – cuidado se der sono. Mas não é barato. Funciona assim: você entra na autoestrada e pega um bilhete nas catracas de pedágio. E depois, roda o quanto for necessário. Quando for sair da estrada, você sai pelas cabines de pedágio (se atente àquela que faz sentido para você, elas são sinalizadas com “carta” que é o cartão de débito/crédito, ou uns símbolos de dinheiro e também tem o equivalente ao “Sem Parar” daqui, que sugiro você evitar, se o carro da locadora não tiver).

Claro que vou dar exemplo: em uma viagem como a que fizemos, saindo de Milão e indo até Lecce na Puglia (aqui não vou contar o desvio em Ascoli Piceno, tá?), sai aproximadamente 65€ de pedágio. Já se o trecho é entre Milão e Roma, é possível usar cerca de 42€ nos pedágios.

É claro que há – muitas vezes, não sempre – a possibilidade de fazer trajetos usando as estradas alternativas. Essas não são pedagiadas e a gente usa muitas vezes para passeios como o que fizemos pela Toscananão faz sentido andar de carro pelas estradinhas da Toscana sem passar pelas estradinhas da Toscana hahaha – ou mesmo para ir para destinos próximos à Milão, como Bérgamo e para Lago di Garda, por exemplo. Nesse caso, cheque sempre pelo Google Maps ou mesmo pelo Waze quais as melhores opções entre tempo/custo para você.


VIAGENS POR ESCRITO

Gostou deste post? Ele fez parte do grupo de blogagem coletiva chamado Viagens Por Escrito, que reúne blogs super bacanas que escrevem, mensalmente, sobre um tema em comum. Em setembro o tema escolhido foi Road Trip e se você também ama viajar pelas estradas desse mundão afora, não perde tempo e já corre em cada um dos blogs parceiros aqui embaixo, porque tem muuuito conteúdo legal para conferir! E para conferir todos os posts aqui do Voyajando que já escrevemos para o Viagens por Escrito, clica aqui!


14 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s