Guia de compras em São Paulo: 10 lugares para comprar de tudo na cidade

Como crescemos em Suzano (SP), pertinho de São Paulo, para nós sempre foi muito natural ir para a capital do estado para fazer compras das mais diversas – pelo preço, comodidade e variedade. Depois que moramos na cidade então, o nosso “know how” (kkkkkk) sobre lugares bacanas para fazer compras por lá aumentou, e passamos a descobrir cantinhos super especiais para adquirir coisas bacanas ou baratas, ou as duas coisas. E é essa a ideia do post de hoje: um guia de compras de São Paulo com os melhores lugares para comprar na capital – segundo nós mesmas, hahahahaa.

(Alô Voyajante: as fotos e informações aqui são baseadas na nossa experiência antes da pandemia).

Separamos então os lugares mais legais para comprar eletrônicos, bijouterias, maquiagens, roupas, itens para casa e muito mais aqui embaixo. Se você conhece algum outro cantinho que não citamos aqui, não deixe de compartilhar com a gente, assim podemos ajudar muito mais pessoas a garimpar o que há de melhor nessa cidade mara!

Procurando por itens mais específicos? Para ver o nosso guia de outlets de São Paulo, clica aqui!

Dicas para aproveitar suas compras em São Paulo

  • Nos grandes centros populares, vá preparado para andar. De preferência com calçados confortáveis e bolsas pequenas
  • Sempre fique de olho nos seus pertences. Bolsas, carteiras e celulares sempre na frente do corpo
  • Chegue cedo. Os centros de comércio popular geralmente são bem cheios e movimentados. Quanto mais cedo você chegar, mais você aproveita sem ter que lidar com multidões
  • Leve também dinheiro em espécie. Muitas lojas só aceitam dinheiro em espécie ou dão bons descontos quando os itens são pagos em dinheiro
  • Comércio de roupas – algumas lojas do Brás e da José Paulino não possuem provador. Algumas permitem que você experimente por cima da sua roupa (isso em tempos pré-COVID, não sei como está agora), então muita gente vai com roupas menos volumosas (como regatas e calças legging) para poder experimentar mesmo assim

Como chegar Aos centros comerciais em São Paulo

Esse mapa aqui embaixo é para você entender, mais ou menos, onde estão cada um dos centros comerciais que estamos sugerindo nesse post. Dá para ver que muita coisa fica na região do centro mesmo e, principalmente por isso, o ideal é você utilizar o transporte público da cidade para chegar. Todos eles também possuem, claro, opções de estacionamento e aqui vale aquela regra de ouro: quanto mais perto do “fervo”, mais caro.

Além do transporte público, outra opção também é utilizar os aplicativos de transporte como o Uber, que conseguem deixar você mais próximo dos grandes centros – logo, da muvuca – sem investir nos estacionamentos que, muitas vezes, cobram por hora.

Confira o mapa do sistema de transporte metropolitano de São Paulo aqui.

Região 25 de março

Começamos por ela! Eis o lugar que mora no coração de quem tem paciência e quer encontrar tudo no mesmo lugar, kkkkk. A região da Rua 25 de março, em São Paulo, é quase um paraíso de compras por conta do seu preço baixo, variedade e acessibilidade. Pertinho do Mercadão de São Paulo, da Zona Cerealista (falo dela aqui embaixo) e com fácil acesso pelo metrô da linha azul (Estação São Bento) e vermelha (Pedro II).

Para quem nunca ouviu falar da 25 de março, vá preparado. Ela é bem cheia – principalmente nos finais de semana. A melhor maneira de chegar é indo de metrô ou de ônibus. Se você for de carro, fique atento à variação – enorme – dos preços de estacionamento, que segue a lógica das grandes cidades: quanto mais longe do “fervo”, mais barato, quanto mais perto, mais caro.

A gente pretende fazer um post bem completo só sobre a região da 25 de março. Mas agora vamos as dicas mais gerais. Se você está buscando algo específico, é ele que você deve buscar primeiro. Cuidado para não cair na tentação de dar “só uma olhadinha” em outras coisas porque ali o tempo passa depressa e as lojas realmente ficam cheias (kkkkk parece terrorismo, mas eu juro que é só uma dica para ajudá-lo).

Se você está indo só para conhecer, priorize as lojas que enchem mais depressa, como Armarinhos Fernando e Camicado (que vendem, basicamente, tudo para sua casa e também brinquedos e materiais escolares). Se o foco são as bijouterias, maquiagens e artigos de festa (fantasias e casamentos), vá direto para a Ladeira Porto Geral, é lá que estão a maioria das lojas desse tipo. Agora se o foco são os brinquedos, tecidos e utensílios domésticos, você pode se manter mesmo na 25 de março, principalmente.

E essas foram as dicas rápidas sobre essa região, porque realmente é um mundo a ser descoberto e temos muito o que falar sobre lá. Se você tem alguma dúvida, fale com a gente pelo nosso Instagram que, se soubermos e pudermos, adoraremos ajudar!

25 de Março em São Paulo

Bairro da Liberdade

O bairro da Liberdade é um bairro um pouco mais tranquilo para passear do que a região da 25 de março (a não ser que seja durante os eventos específicos que acontecem anualmente por lá). Para chegar até ele, o ideal é descer na estação da linha azul do metrô, Japão Liberdade.

Lá você vai achar produtos de origem oriental em empórios gigantes. É um passeio a parte andar pelas ruazinhas e, além de poder desfrutar da maravilhosa gastronomia típica por lá mesmo, ainda dá para levar para casa todos os ingredientes e fazer uma refeição japonesa, chinesa ou coreana na sua casa mesmo. Aos domingos, ainda existe a feirinha da Liberdade. Famosa e cheia de quitutes.

É lá também que está a Ikesaki, uma loja gigante de itens de perfumaria e beleza (com vários andares), que parece um labirinto com escadas, rampas e bifurcações, onde você pode encontrar praticamente tudo de beleza (maquiagem, cremes, equipamentos), profissionais e home care.

Cena de uma aglomeração em um domingo comum na Liberdade pré-pandemia

Brás

O Brás é um dos locais em São Paulo famosos pela venda de roupas e também para montagem de enxoval. Aliás, é um dos principais centros de comércio popular. Eu ia muito quando era mais nova, principalmente pelo fácil acesso. A estação Brás é facilmente acessada pelas linhas vermelha do metrô e coral, esmeralda e safira dos trens da CPTM. Saindo da estação você só precisa atravessar a rua e cruzar a pracinha para chegar às movimentadas ruas – e lojas.

As principais ruas que você vai encontrar grande parte das lojas são: Rua Maria Marcolina (uma das mais movimentadas, tem de tudo); Rua Oriente (com galerias e lojinhas com peças mais populares. Também é legal para moda masculina); Rua Maria Joaquina (muitas peças jeans em geral) e Rua Bresser (com alguns outlets e lojas mais famosas).

Bom Retiro (Rua José Paulino)

Uma opção ao Brás é a Rua José Paulino, no bairro do Bom Retiro. Nós por aqui passamos a preferir bem mais ir para lá do que para o Brás, por ser menos muvucado e também por ter opções de roupas de qualidade um pouco melhor no geral. É na Rua José Paulino também – e nas suas adjacências – que você encontra uma variedade grande de lojas de vestidos de festa. Então é para lá que você pode ir se quiser encontrar um vestido de formatura ou casamento, por exemplo.

Para chegar na Rua José Paulino, a melhor opção é a Estação da Luz (sim, aquela bonitona). Ela tem ligação com as linhas azul e amarela do metrô e com as linhas coral e rubi. Uma dica é procurar a saída mais próxima da Rua José Paulino antes mesmo de passar pelas catracas de saída da estação, isso porquê a estação da Luz é gigantesca, e as chances de você sair dela bem longe de onde você quer ir são grandes (experiência própria kkkkkkk). Também é possível ir de carro, claro. Alguns estacionamentos (um pouco mais afastados da Estação da Luz), cobram por diária e pode ser que compense para quem vem de longe. Outra opção é deixar na rua e pagar Zona Azul (dá para comprar por um aplicativo).

E a dica principal aqui, assim como os demais centros comerciais de São Paulo, é: chegue cedo. Ainda mais se for de sábado. Também, se possível, leve algum dinheiro em espécie (não muito, atenção à segurança), pois algumas lojas, infelizmente, só aceitam dinheiro ou se você pagar em cartão elas cobram a mais. Também leve junto com você a paciência, a determinação e o bom-senso. Com tudo isso, as chances de você sair de lá com ótimas escolhas são grandes.

Rua das Noivas

Fui na Rua das Noivasou Rua São Caetano, na Luz, que é seu nome oficial – três vezes na vida e, sinceramente, não é o meu rolê preferido de São Paulo. Duas dessas vezes foram antes do meu casamento e uma antes do casamento da @jeaninecarpani. Nossa mãe – que nos acompanhou nas três – diz que antigamente essa rua ostentava os mais lindos vestidos de noiva e era uma referência para todo mundo que ia casar. Hoje em dia já não é assim.

Antes de tudo, digo que o “como chegar” é igualzinho o da Rua José Paulino. A Rua das Noivas fica bem pertinho da Estação da Luz, mas a saída da estação é outra; pergunte dentro da estação antes de sair para a rua (falo sério quando digo que a estação é grande). Ainda há por lá opções também para estacionar em estacionamentos privados e na rua.

Voltando à decepção com a Rua das Noivas, ainda há por lá muitas lojas relacionadas à casamento. O principal item vendido lá são os vestidos de noivas, claro, mas ainda se podem encontrar apetrechos para casamentos, trajes para daminhas, roupas de noivo, de padrinhos e madrinhas, lembrancinhas… enfim! É quase uma feira de noivas a céu aberto.

Nem eu nem a Jeanine achamos nossos vestidos por lá porque procurávamos por uma “pegada” mais campo (eu) e mais vintage (Jeanine). Mas existem muitas opções – muitas mesmo – principalmente se você é uma noiva mais tradicional. Então, se você está prestes a casar, eu recomendo muito que vá à Rua das Noivas para experimentar todo e qualquer tipo de vestido (por lá eles têm realmente muitos). Assim você consegue ter uma noção mais clara do que você quer e, quem sabe, não é lá que você consegue encontrar o seu “Yes to the Dress“.

Rua Santa Ifigênia

É aqui que você vai encontrar eletrônicos e acessórios para eletrônicos de todos os tipos. Videogames, equipamentos de luz, instrumentos musicais, computadores, câmeras fotográficas, acessórios para celular – celulares também -, tablets e por aí vai. A rua é destino certo de pessoas que buscam preços mais interessantes e/ou uma variedade maior de itens – todas juntas, ao mesmo tempo. Então sim (em um cenário pré-pandemia) a rua é bem cheia e a dica de ouro é: planejamento e chegue cedo.

Saiba o que você está procurando e entre nas galerias e lojas específicas – fica fácil de identificar olhando para a loja. Ali se reúnem desde profissionais a amadores, passando por amantes de videogames, músicos, fotógrafos e até eletricistas e pessoas que buscam aparelhos bem específicos de manutenção elétrica. Ou seja, paciência e perseverança também serão suas amigas por aqui.

A Rua Santa Efigênia está localizada no centro de São Paulo, próxima às regiões da República e da 25 de março. Então até dá para você tentar combinar algum passeio na região com uma passadinha por lá. A dica, como sempre, é chegue cedo. Gostávamos de estacionar próximo à Praça da República porque há mais opções de estacionamento e por segurança também, porque aí você não precisa passar pela muvuca da região da 25 de março caso tenha comprado um item um pouco mais caro – como um videogame ou algo do tipo. Se você for de ônibus, busque algum que passe perto da Praça da República (um pouco mais longe) ou da Estação da Luz (mais perto).

Ah, outra dica legal é: não compre na primeira loja e vá pronto para negociar! Eles fazem orçamentos e os vendedores estão sempre buscando as melhores condições – dada a quantidade de lojas que oferecem os mesmos produtos.

Galeria do Rock

Já falamos da Galeria do Rock aqui né (clica para ler)? O lugar é bacana para quem quer passear e conhecer, mas também para quem está buscando itens relacionados à música, piercings, tatuagens e até para fazer tranças nos cabelos e dar uma repaginada no visual. Camisetas de bandas, discos de vinil, tênis e sapatos diferentes, a lista e variedade de itens que você pode encontrar por ali é bem grande.

Diferente dos outros locais que citamos ali em cima, a não ser que você queira fazer uma tatuagem e não marcou hora e quer tentar a sorte de conseguir um encaixe, a Galeria do Rock pode ser visitada a qualquer hora do dia. Nunca fui em um dia lotaaaado e é um passeio agradável que pode ser combinado com outros ali no centro de São Paulo.

Para chegar até lá, a estação mais próxima é a da Praça da República. Também é possível descer na Estação Anhangabaú (um pouquinho mais longe).

Rua do Gasômetro

Cadeiras, mesas, puxadores, armários, puffs, pisos, ferragens e muito muito mais. A Rua do Gasômetro, chamada dessa forma porque antes abrigava uma indústria de gás, é destino certo de muitas pessoas que querem construir ou reformar. Os preços são convidativos, mas é preciso paciência para encontrar o item que você quer, pesquisar preços e negociar.

Você encontra na Rua do Gasômetro desde portas e janelas, até maçanetas. Foi lá que comprei minha mesa e minhas cadeiras da minha nova casa quando morava em São Paulo, por exemplo. Se você também vai em busca de itens grandes, uma dica é ir de carro mesmo, porque se der – e você quiser – carregar, você economiza o preço da entrega e já sai levando o seu item. Já para chegar de transporte público, a rua fica entre as estações do Brás e Pedro II, do metrô da linha vermelha.

Fomos no Gasômetro achar nossas cadeiras da sala de jantar.

Rua do Ouro (Barão de Paranapiacaba)

Para comprar alianças de ouro, de prata, brincos, pulseiras, colares e outras joias, é aqui que você vai em São Paulo. Isso é, se estiver procurando por preços, geralmente, mais acessíveis ou uma joia mais específica – dada a quantidade e variedade que é possível encontrar. Se você vai em um sábado, as dicas aqui são as mesmas que dissemos em quase os outros tópicos: chegue cedo. Já durante a semana, o movimento do centro de São Paulo tende a ser mais “diluído” durante todo o dia – evite se puder o fim de tarde por questões de segurança.

Falando em centro de São Paulo, como chegar? A Rua Barão de Paranapiacaba é uma das paralelas à praça da Catedral da Sé. Então a própria estação do metrô da Sé é pertinho dali. Também dá para chegar de ônibus e, nesse caso, as opções são a Praça João Mendes (bem perto) ou algum ônibus que passe pela Praça da Sé.

Agora falando da segurança e do que esperar por lá. São mais de 300 lojas (cenário antes da pandemia) que incluem joias e semi-joias a preços convidativos. Esperando os clientes, na Rua do Ouro mesmo, há inúmeras – INÚMERAS – pessoas que abordam quem passa por ali, perguntando se quer comprar aliança, se quer comprar prata, o que está procurando, e etc. Se você dá atenção, eles levam você até a loja pelo qual trabalham ganhando comissão. Sinceramente, apesar de ser o trabalho deles, tome cuidado. A abordagem pode até ser insistente e eu, particularmente, não gosto. Você pode desviar e ir diretamente à loja que procura. Já houve casos em que eles acompanharam as pessoas de porta em porta.

Outra coisa, fique atento à sua segurança. Assim como todos os outros posts do blog, nossa intenção não é ser alarmista ou pessimista ou nada do tipo. Só fique atento e tudo dará certo. A região tem, sim, preços muito convidativos se comparados aos encontrados nos shoppings. Claro que o ideal é que você busque saber a procedência do ouro, veja se tem garantia, busque lojas maiores e tudo o mais. Faça sua parte na pesquisa e fique atento à segurança, e tudo dará certo.

Zona Cerealista

Pertinho da rua 25 de março e do Mercado Municipal, a Zona Cerealista é o lugar para você comprar tudo que estiver na sua lista da nutricionista, mas não só. Tem de tudo. Grãos, nuts, doces, cereais e até whey protein. Tudo que pode virar receita também está ali e é um lugar que eu adoro ir com uma listinha e economizar muito.

Assim como outros itens da lista aqui em cima, é preciso paciência, chegar cedo e se puder, levar uma lista de compras. Porque a gente se perde nós empórios com várias opções de castanhas, nozes, frutas secas, cereais, grãos e todo o resto. Algumas lojas também é preciso pegar uma senha para poder entrar na fila para comprar, aí eles destinam um funcionário para acompanhar você em cada um dos itens que você for pegar – porque na maioria das vezes, é tudo a granel.

Para chegar na Zona Cerealista, você pode optar por ir de carro – nesse caso é interessante se você for comprar muita coisa, pois o peso é grande. Se você for de transporte público, pode descer na Estação Pedro II, do metrô da linha vermelha, ou no terminal de ônibus do mesmo nome – que fica bem perto.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s