Como são as praias na Itália? Minha primeira experiência na Puglia

A temporada de calor na Itália, de meados de junho até setembro mais ou menos, foi bem agitada no verão passado de 2021, já que era o primeiro verão pós-vacina contra o COVID-19. Eu mesma havia acabado de tomar minha segunda dose em julho, quando tirei férias de uma semana e fui conhecer a Puglia (Apúlia em português) no sul da Itália que foi também a minha primeira experiência com as praias do país.

Esse post então é para você que: um, tem vontade de visitar as belas praias da Puglia; e/ou dois: quer saber como são as praias na Itália. Espero ajudar nesses dois pontos. Continua comigo!


Como são as praias na Itália?

Antes de tudo: por quê fazer um post – ou mesmo um parágrafo – falando sobre como são as praias na Itália? Porque são diferentes, caro voyajante. Explico: um dos nossos grandes objetivos do blog, se você está aqui há mais tempo já sabe, é trazer o nosso olhar sobre as coisas. E por isso digo que eu, à primeira vista, estranhei (e esse post é exatamente para te ajudar a não estranhar tanto).

Nascida e criada a mais ou menos 40 minutos do litoral norte de São Paulo, sou uma pessoa que gosta de praia. Morando na Itália já na época há cerca de sete meses, eu sabia, claro, que não ia encontrar caipirinha, água de coco, geladinho (sacolé) e biscoito Globo (isso é só do Rio de Janeiro, mas quis citar), nas praias dos mares Mediterrâneo e Adriático. Mas, em termos gastronômicos, não encontrei quase NADA.

Como são as praias na Itália?

Não sei se foram as praias da Puglia (fomos principalmente para a Praia de Punta Prosciutto passar um dia todo lá), ou se existe isso em toda a Itália, mas posso dizer que pelas minhas investigações de quem está aqui há mais tempo, é verdade esse bilhete: é muito raro passar pessoas vendendo as coisas. Nas praias livres – explico isso aqui embaixo – não tem nem estrutura de praia que estamos acostumados = em que você chega linda com sua bolsa de praia, senta em cadeiras de plástico amarelas (ou vermelhas) de propaganda das cervejas brasileiras e fica ali pelo tempo que quiser, apenas pagando algum valor de consumação no bar da praia.

Não. Não tem. Se você ver o nosso roteiro pela Puglia vai ver que antes de passarmos o dia todo na praia, aproveitamos para fazer um reconhecimento de terreno e ver as possibilidades. Identificamos duas delas:

Praias na Itália: os lidos

Os lidos são, mais ou menos, como beach clubs. Você paga um valor pela diária (ou pelas horas) que pretende aproveitar a estrutura (espreguiçadeira, cadeira, mesa) e depois paga à parte para consumir comidas e bebidas do local – que obrigatoriamente só pode consumir se for do lido. Os valores variam bastante, mas partiam de mais ou menos uns 25€ por pessoa.

Esses locais oferecem não só cadeira, guarda-sol, espreguiçadeiras, como também a possibilidade de utilizar banheiros, alguns têm vestiários e chuveiros, estacionamentos e lugares para comer. Os preços, de novo, são bem variados por toda a Itália. Vale aquela pesquisa básica antes para ver se compensa para você e cabe no seu bolso.

Na Puglia, os lidos me pareceram uma opção bem confortável para passar o dia mas, como estávamos de carro e a idéia era curtir mais de um dia de praia, não compensava financeiramente para nós. Então tomamos uma outra decisão e usamos as:

Praias na Itália: as praias livres

Esse nome “praias livres” é uma tradução livre – e ruim – minha. Mas quando você achar uma “spiaggia libera“, significa que você pode chegar com sua canga, sua cadeira, seu cooler e seu franguinho assado (esse último é brincadeira hahaha) e buscar o seu lugar o sol, ou à sombra depende. E foi isso que fizemos – mas só levamos cadeiras e guarda-sol (contei aqui embaixo como foi a compra deles).

Daí funciona como o Brasil. Você chega, estende sua canga, monta seu guarda-sol, e senta. As praias que nós fomos não eram de pedras (que são comuns aqui na Itália e quando eu for, claro que vou contar como foi). Então achamos nosso espacinho e ficamos por ali a manhã inteira. Até ali tudo certo. Tínhamos a nossa sombra, estávamos confortáveis (não fazia um calor absurdo) e a Praia de Ponta Prosciutto não tinha ondas, então era tranquilo de ir na água. Tinha até gente lendo livros enquanto boiava em boias infláveis gigantes – e em colchões infláveis também (pois sim hahahah).

Uma das desvantagens – além da escassez de opções de comida da qual falo no próximo tópico – das praias livres é que, muitas vezes, elas podem estar lotadas. Não existiam grandíssimas faixas de areia como existem no Brasil, por isso chegar cedo era praticamente lei para poder arranjar um lugar para ficar.

Comer nas praias na Itália? Melhor se planejar!

Bom só pela minha introdução ali em cima acerca das possibilidades gastronômicas (desculpe gente, sol em Touro), você pode ver que na hora de comer, o bicho pegou. Olhamos para um lado e para o outro e todo mundo estava se deliciando com as coisas que trouxeram de casa: bolachas (e biscoitos), tortas salgadas, focaccias, potes recheados de queijos e salames e até macarrão a gente viu. E nós, mal planejados, não tínhamos nem uma garrafa de água kkkkkkkk.

Sobrou para o Bruno a ingrata missão de sair “à caça” de algo para comermos. Ele achou, mas estava a aproximadamente uns vinte minutos de caminhada (só a ida) hahahahaha. Agora eu dou risada, mas foi meio frustrante na hora (estava com fome). Ele trouxe uma focaccia e uma pizza e tudo ficou bem!

A dica então é que você leve alguma coisa para segurar a fome ou mesmo para almoçar durante o dia. Ou, se for possível, fique perto de um ponto de apoio desses que vendem coisas para comer durante o período que for ficar ali.

Onde comprar seu Guarda-Sol e Cadeiras?

Se você nos lê porque mora por aqui ou simplesmente se quer fazer como nós e dar uma economizada, esse tópico é só para dizer que a gente comprou guarda-sol e cadeiras em uma loja chamada Happy Casa, mas existem várias outras – inclusive lojas tipo “chinês” aquelas que têm de tudo – que podem te ajudar nessa missão. Você também pode encontrar esses itens na Decatlhon (na parte de camping tem bastante coisa) e/ou nos mercados.

Pagamos aproximadamente 10€ nas cadeiras e 15€ no guarda-sol, mas claro que existem preços e variedades para todos os gostos. Também pensamos em comprar um cooler ou uma mochila térmica (essa na Decathlon) para levar algumas coisinhas para comer. Mas daí teríamos que passar no mercado e já estava tarde. Essa falta de planejamento nos trouxe um arrependimento para a hora de comer, como expliquei ali em cima, mas faz parte, né? Hahahaha.

Outras Curiosidades sobre praias na Itália

  • Não são só italianos que você vai encontrar nas praias da Itália: alemães, suécos, suiços, russos e muitas outras nacionalidades estão presentes. As praias do país são super apreciadas pelos europeus
  • A Itália é praticamente toda banhada pelo mar, você encontra opções de praia de norte a sul do país. Se vier no verão, pode tentar encaixar algum destino de praia, se quiser!
  • A água – geralmente – é bem fria, com exceção de algumas praias do sul em que a água esquenta um pouco mais no alto verão
  • Existem vários “tipos” de praia: as amadas praias de areia, as praias de pedrinhas, as de pedras médias e de “pedrões” – verdadeiras rochas. Claro que a paisagem muda de uma para a outra. Vale pesquisar quais são as melhores praias que existem na região que você estará hospedado. Entenda o que é melhor para você também, já que por “melhores” podem ser as melhores para banho, as de areia, as mais bonitas e assim por diante
  • Senti falta da água de coco (e do queijo coalho, do milho com manteiga, das caipirinhas, e etc…….) – deixei esse tópico aqui só para falar isso mesmo


Como disse ali em cima, esse post foi para trazer algumas reflexões sobre a minha experiência nas praias da Itália. É uma experiência minúscula perto do tamanho do litoral do país, mas acredito que aos poucos a gente vai se acostumando e posso ir perdendo o “o olhar de turista” que a gente gosta de trazer aqui para você. Então já quis escrever já. Espero que tenha gostado e não esquece que tudo que estamos vivendo aqui na Itália você pode ver aqui no blog e também no nosso canal no YouTube. Nosso dia a dia e nossos passeios por aí a gente mostra também lá no Instagram.



SOBRE NÓS

O Voyajando surgiu do sonho de criar um espaço para trocar dicas de passeios, restaurantes, hotéis e tudo o mais que envolve os pequenos períodos maravilhosos da vida que chamamos de viagens. São elas que nos proporcionam a possibilidade de descobrir novos universos, ter contato com outras culturas e outros jeitos de ver a vida. O Brasil e o mundo estão cheios de lugares incríveis. Vamos conhecê-los juntos?
Booking.com

COMPRE SEUS INGRESSOS

________

Posts  Relacionados

Deixe  um  comentário

0 comentários

Trackbacks/Pingbacks

  1. Viagem para a Puglia, na Itália: dicas sobre o que fazer em Lecce capital do Salento – Voyajando - […] Como são as praias na Itália? Minha primeira experiência […]

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

%d blogueiros gostam disto: