Conheça os novos Patrimônios Mundiais da Unesco no Japão

Uma coisa que aprendi passeando aqui pela Itália é que se a Unesco recomenda, vale a visita hahahaha. Brincadeiras à parte, ou não, a questão é que o órgão identifica os lugares que devem ser consagrados como patrimônios e que por isso devem ser preservados – e também rendem um ótimo guia de viagem porque são sempre lugares únicos. Veja nesse post quais são os mais recentes Patrimônios Mundiais da Unesco no Japão, que acabam de entrar para a lista.



Em 2021, novos destinos no Japão foram consagrados como patrimônios mundiais da Unesco.  Agora, integram a lista como o quinto Patrimônio Natural japonês, as ilhas Amami, Oshima, Tokunoshima, Iriomote e a região de Yanbaru. E, os sítios pré-históricos de Jomon foram reconhecidos como o 20º Patrimônio Cultural do país.

Com a inclusão dos novos locais, o Japão soma 25 patrimônios da humanidade. Para inspirar futuras viagens ao arquipélago, a Organização Nacional do Turismo Japonês (JNTO) apresenta as belezas e atrações das novas regiões.

Patrimônios Mundiais da Unesco no Japão
Sítios pré-históricos de Jomon têm mais de 10 mil anos e remontam a rica história japonesa e o período pré-histórico da humanidade

Patrimônios Mundiais da Unesco no Japão: Ilha Amami Oshima

Esta é a sétima maior ilha do Japão e a maior do Arquipélago Satsunano, localizado entre a região de Kyushu e Okinawa, na província de Kagoshima. A ilha faz parte do Parque Nacional Amami Gunto Quasi, que tem cerca de 95% de sua área coberta por áreas verdes preservadas e é lar da segunda maior floresta de manguezais do Japão. Amami Oshima é, também, pontilhada com praias de areia branca, água cristalina e longos trechos de recife com uma abundante vida marinha. A região oferece muitas atrações para amantes de atividades ao ar livre e subaquáticas. É possível alugar equipamentos e ter aulas de mergulho em vários locais em toda a ilha. Além disso, entre as atrações estão trilhas para caminhadas, ciclismo e passeios para aprender sobre a ecologia local e de caiaque pelos manguezais.

A ilha é acessível de avião a partir de grandes cidades japonesas. O voo de Tóquio dura aproximadamente duas horas e meia. Também é possível chegar de balsa a partir de Kagoshima, pela rota que conecta Kagoshima a Naha, a viagem leva 11 horas. 

Patrimônios Mundiais da Unesco no Japão: Ilha Tokunoshima

Vizinha a Amami, a Ilha Tokunoshima, está localizada a cerca de 489 quilômetros ao sul de Kyushu e a 100 quilômetros ao norte de Okinawa. Com praias paradisíacas, as atrações locais incluem a pesca, o mergulho e o surfe, além de relaxar diante do mar azul turquesa. A rica cultura local é outro atrativo. O togyu, ou sumô de touro é uma tradição cultural de mais de 500 anos e consiste em um evento nobre em que os animais demonstram sua força em disputas por território. 

É possível chegar em Tokunoshima de avião ou balsa. Voos conectam Tokunoshima a Kagoshima, Naha e algumas das outras ilhas Amami através do Aeroporto de Tokunoshima. A ilha tem dois portos de balsa com serviços regulares de Okinawa, Kagoshima e Kobe.

Patrimônios Mundiais da Unesco no Japão: Iriomote Island 

Iriomote é a segunda maior ilha da província de Okinawa, e um dos lugares mais selvagens do Japão. A maior parte de seu território é coberta por uma floresta densa e montanhosa. Entre as atrações estão praias desertas e intocadas, trilhas que levam a cachoeiras naturais, passeios de caiaque pelos manguezais e cruzeiros pelos rios da ilha que cortam pela selva. Com abundante fauna, é o lar exclusivo do gato Iriomote, uma espécie nativa de leopardo que está em grande risco de extinção. Uma atração imperdível é a pequena ilha Yubu, separada da costa leste de Iriomote por um estreito, raso e arenoso. O local oferece passeios de carroça puxada por búfalos e o cocheiro toca melodias tradicionais com sanshin. A bela praia de areia das estrelas, Hoshizuna, também fica na ilhota.

O acesso à Ilha Iriomote é feito por balsa saindo da Ilha Ishigaki, em Okinawa. O trajeto para chegar ao Porto Ohara, no sul da ilha, leva cerca de 35 a 40 minutos e para o Porto Uehara ao norte, de 40 a 50 minutos.

Patrimônios Mundiais da Unesco no Japão: Região de Yanbaru

Yanbaru está localizada ao norte da principal ilha de Okinawa. A região rural é repleta de montanhas, florestas e vida selvagem endêmica. É lar também do Parque Nacional Yanbaru. Entre as atrações turísticas da região estão atividades ao ar livre, como caminhadas pelas trilhas que permeiam a mata para apreciar a flora e a fauna, visitas a museus sobre ecologia e biodiversidade, cachoeira e passeios de caiaque pelos manguezais. A Floresta de Manguezal de Gesashi compõe a maior coleção de manguezais em Okinawa. Para quem gosta de relaxar à beira-mar, Okuma Beach é uma praia que merece atenção. Localizada dentro do Okuma Private Beach & Resort, um dos poucos no extremo norte da ilha, a faixa de areia branca se estende por um quilômetro e muitas instalações e atividades aquáticas estão disponíveis tanto para os hóspedes quanto para visitantes diurnos.

Para explorar, o jeito mais fácil é alugar um carro, já que há pouca oferta de transporte público circulando pela região. Para chegar, há ônibus que saem de Naha, capital de Okinawa, até o Parque Nacional. A viagem dura cerca de três horas. Quem optar por alugar um veículo chegará mais rápido, em cerca de uma hora e meia.

Patrimônios Mundiais da Unesco no Japão: Sítios pré-históricos de Jomon

Distribuídos pela região norte do Japão, nas regiões de Hokkaido e Tohoku, estão localizados os Sítios pré-históricos de Jomon. Com mais de 10 mil anos, eles remontam a rica história japonesa e o período pré-histórico da humanidade. São ao todo 17 áreas, que apresentam assentamentos, monumentos, cemitérios e objetos desenvolvidos com técnicas de cerâmica e formas de arte únicas remanescentes da época. 

Os Jomons eram muito desenvolvidos e não eram nômades, como eram os povos da mesma época descobertos pelo mundo. Eles mantinham suas atividades fixas, se alimentando da pesca e caça. Nos centros de orientação e museus da região, é possível aprender sobre os rituais e as atividades espirituais, conhecer os artefatos utilizados em diferentes períodos e a arte em estatuetas de argila. 

Para visitar os locais, é preciso primeiro escolher a região e a cidade mais próxima. Há sítios arqueológicos próximos às principais cidades das províncias de Aomori, Hokkaido, Iwate e Akita. Todas têm fácil acesso de avião e trem.


  • Gostou dessa notícia? Você pode encontrar outras como essa, relacionadas ao setor de viagens e turismo, na categoria “notícias” aqui do blog. Por lá, a gente posta tudo de mais legal que recebemos das assessorias de imprensa e das empresas do setor para você se manter atualizado e para ajudar a planejar sua próxima viagem. Só lembrando que, nem sempre, a gente conhece os serviços que são aqui divulgados. E isso não é um publipost! Acesse aqui para ver mais notícias!



__

GARANTA SEUS INGRESSOS

Booking.com

SOBRE NÓS

O Voyajando surgiu do sonho de criar um espaço para trocar dicas de passeios, restaurantes, hotéis e tudo o mais que envolve os pequenos períodos maravilhosos da vida que chamamos de viagens. São elas que nos proporcionam a possibilidade de descobrir novos universos, ter contato com outras culturas e outros jeitos de ver a vida. O Brasil e o mundo estão cheios de lugares incríveis. Vamos conhecê-los juntos?

PASSEIOS EM ROMA

Posts  Relacionados

Deixe  um  comentário

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.