Intercâmbio: Canadá e EUA estão entre os destinos mais cogitados por brasileiros

O Canadá e os EUA são os destinos que mais procurados por brasileiros que desejam realizar o sonho de fazer um intercâmbio no pós-pandemia. É o que revela a Pesquisa BELTA 2021, que abordou o “Impacto da Pandemia de COVID-19 no mercado de intercâmbio. Já mostramos os resultados dessa pesquisa em 2020 (clica para ler), e nesse ano, a Belta (Brazilian Educational e Language Travel Association, ou  – Associação Brasileira de Agências de Intercâmbio) revelou que os brasileiros continuam se interessando por países de língua inglesa para fazer um intercâmbio. Entre os três primeiros estão: Canadá (80,3%), EUA (70,7%) e Reino Unido (69,9%). Já a Nova Zelândia e Austrália estão empatados em terceiro lugar, com 58,5% do interesse dos entrevistados e a França vem em sexto, com 58,3%.

A Irlanda, onde a Jeanine fez o intercâmbio dela em 2018 (e contou tudo aqui no blog, clica), apareceu em sétima posição em 2021.

A pesquisa entrevistou agentes de intercâmbio e estudantes – ou pessoas que querem estudar no exterior – para compilar dados sobre o mercado de intercâmbio na pandemia e também em um cenário futuro de pós-pandemia.

Para os estudantes, a normalidade neste mercado deve voltar em 2022, da maneira como for possível. Já os agentes estão menos otimistas e veem uma melhora do cenário apenas em 2023. Segundo as agências de intercâmbio, o impacto negativo do COVID nas vendas foi de 46% negativo. A pesquisa destaca também que os brasileiros estão entre os mais pessimistas quanto aos efeitos da pandemia.

Isso reflete, claro, a escolha dos estudantes: 10% desistiram definitivamente de fazer um intercâmbio, enquanto 25% continuam com o mesmo plano de antes. Outros 49% tiveram que postergar o plano por razões financeiras.

Que programa de intercâmbio escolher?

O curso de idioma com trabalho temporário continua como a primeira opção para os estudantes que responderam a pesquisa. 38% prefere trabalhar enquanto estuda (como a @jeaninecarpani fez durante seu intercâmbio na Irlanda).

Já outros 24,4%, preferem se dedicar aos cursos de idioma exclusivamente. Outras respostas foram: graduação no exterior (8,4%), curso profissional (4,8%), pós-graduação como MBA ou Master (4,5%) e pós-graduação Stricto Sensu como o mestrado ou doutorado (4,2%).

Cenários pós-pandemia no intercâmbio

Alguns dados da pesquisa revelam também que, para a escolha desses destinos, tanto os agentes de intercâmbio quanto os estudantes levam em consideração quesitos como a aptidão dos professores em administrar aulas no formato híbrido (online e presencial), a infraestrutura de hospedagem adequada a receber os estudantes internacionais, os preços competitivos de intercâmbio e de hospedagem para o próximo ano.

Além disso, foram levados em consideração também as questões sanitárias, como a competência dos países em lidar com a pandemia, a segurança para receber os estudantes e também o uso de recursos tecnológicos para adaptar às exigências de aulas em formato híbrido.

O Canadá é o país que se destaca em todos esses quesitos. Liderando o interesse e reputação entre estudantes e agentes de intercâmbio.

Enquanto você não consegue embarcar, entre as agências que oferecem ensino à distância de inglês no Canadá, está a Nordeste Intercâmbio, que está com inscrições abertas (confira abaixo) para aulas online para aprimorar o seu inglês.

A Nordeste Intercâmbio preparou aulas online para os estudantes que buscam a fluência no inglês

Critérios para hospedagem

Durante a pesquisa, foram analisados também os critérios para hospedagem dos estudantes. Entre os quais, destacam-se o local com a possibilidade de ir a pé para a escola de intercâmbio. Além disso, os estudantes dão também preferência para quartos individuais – seja em casa de família, seja em residência estudantil. Os hotéis e albergues com quartos individuais também foram levados em consideração.

Decisão de investir em um intercâmbio

O principal fator que estudantes – e agentes de intercâmbio – levam em consideração para a realização de um intercâmbio é a liberação do país de destino para recepção de viajantes do país de origem.
Na sequência, a desvantagem do real em relação às demais moedas (câmbio) e os benefícios oferecidos aos estudantes internacionais (como permissão de trabalho, por exemplo) são igualmente relevantes na escolha por investir ou não em um intercâmbio em um cenário pós-pandemia.

A política de cancelamento mais flexível, o preço do curso de intercâmbio e questões como o visto (se há facilidade ou não), preço das passagens e hospedagens também são quesitos levados em consideração.
Por fim, a escolha dos países de destino também é algo que os estudantes buscam levar em consideração para decidir sobre o intercâmbio.

Em um cenário para a realização das aulas a pesquisa mostra que há uma divisão de opinião: os estudantes (66,4%) apontaram que estariam dispostos a a realizar aulas em formato híbrido (online e presencial) caso houvesse alguma facilidade para a obtenção do visto para estudantes que iniciassem as aulas da modalide online ainda no Brasil. Para 65%, no entanto, apontaram que gostariam de realizar as aulas apenas na modalidade presencial, sem qualquer carga horária de aula no formato online.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s