Para onde ir? Veja experiências de viagens inesquecíveis que já fizemos pelo mundo

Usar a palavra inesquecível para falar de uma experiência ou de uma viagem pode até parecer pleonasmo. Mas não é. E caso você não se lembre do que isso significa, eu explico: pleonasmo é uma figura de linguagem que fala de redundância, ou seja, a repetição desnecessária de um conceito. O famoso “subir para cima” ou “verdade verdadeira”. Logo, viagem inesquecível parece encaixar bem, não é mesmo? Mas, lá no fundo, a gente sabe que não são todas assim. Existem aquelas que vão além: fazem o coração palpitar, o sentimento de gratidão vir à tona ou o sorriso não sair do rosto. Aquelas bem específicas que, quando você fechou os olhos, você pensou com você mesmo (ou mesma) “olha onde eu cheguei”. Arrepiou aí também? Pois bem. Foram a partir desses momentos extraordinários que este post de hoje do Voyajando Blog se construiu.

E não paramos por aqui. E sim, hoje o tom é no plural. Bem-vindo (a) a um dos pouquíssimos posts aqui do blog que foi escrito a quatro mãos. Estamos Jenifer e Jeanine aqui para compartilhar com você, e colocar em um único lugar, tudo aquilo que indicamos de mais excepcional que fizemos ATÉ HOJE nesse mundão grande. Reparou nas maiúsculas? Ótimo. Porque a vida é movimento e que venham muito mais experiências assim para vivenciarmos. Amém.


Anúncios

Passeio de Gôndola em Veneza, na Itália

Por @jenifercarpani

Já começo com um clichezão porque a vida também é feita de clichês, né? Então. A primeira vez que eu fui à Veneza (contei aqui) optamos por não andar de gôndola. Expliquei nos posts os motivos e tudo bem. Eis que eu nem imaginava que quase três anos depois mais ou menos euzinha estaria morando na Itália. No meu aniversário de 3.0, já que não tinha amigos e família por perto, resolvi voltar à Veneza, dessa vez em um tempo bem mais amenoquase quase calor. Foi aí então que, para me presentear, eu e o Bruno fizemos o famoso passeio de gôndola pelos canais da cidade. E apesar de clichê, é muito legal. Não digo que você DEVE fazer quando for porque cada um sabe das suas preferências. Mas para mim foi um momento especial, em um dia especial, marcando uma mudança de vida única. Então, meu primeiro momento inesquecível foi esse e sei que mesmo que ande de gôndola em outras oportunidades por Veneza, não será igual.

Compre aqui o seu passeio de gôndola em Veneza (link afiliado).

Nosso passeio de gôndola no meu trintou =)

Por @jenifercarpani

Acho que as experiências mais inesquecíveis ou mais impressionantes são: ou aquelas que você não “dá nada” e te surpreendem. Ou aquelas que você já tem uma ideia de que será marcante porque você cresceu ouvindo falar sobre aquilo que era uma realidade bem distante da sua, no nosso caso – tipo conhecer o Cristo Redentor, o Coliseu de Roma ou a Torre de Pisa. Navegar pelas águas do São Francisco quando estive no Alagoas foi uma mistura dos dois pontos aqui em cima. Explico: claro que eu já tinha ouvido falar do São Francisco, o Velho Chico. Também é óbvio que eu sabia sobre a importância e a magnitude desse rio. Mas NAVEGAR por ele foi bem impactante para mim.

Eu já tinha tido um choque quando conheci a Amazônia “conheci” entre aspas, porque só fui alguns dias para Manaus, contei aqui – e quando fui passear pelo Rio São Francisco, já estava meio impactada de conhecer o sertão do Brasil pela primeira vez. Depois disso, navegar pelas águas do Velho Chico foi bem representativo. Era como se conhecesse um Brasil que eu não conhecia – e era assim mesmo né. Não sei como explicar, mas só o passeio dos Cânions do Xingó já é válido o suficiente para você considerar fazer essa viagem.

Encontro das Águas em Manaus, no Brasil

Por @jenifercarpani

Mais uma do nosso Brasil, pois sim? Eu tava escrevendo ali em cima sobre o Rio São Francisco e citei Manaus, eis que não pude deixar de listá-lo aqui porque sim, nosso país é cheinho de surpresas tão incríveis. E Manaus foi uma delas. Escrevi esse post há muito tempo e não voltei ainda para a cidade para poder atualizá-lo. Estive em Manaus uma vez, para concorrer à um prêmio de comunicação e, gente, foi uma viagem inesquecível.

O tópico fala “só” do Encontro das Águas, mas é que esse dia em específico foi bem intenso e cheio de coisas bem incríveis. Não só poder ver de perto a coloração diferente dos dois rios que correm lado a lado, sem se misturar, os maravilhosos Rio Negro e Solimões (alô galera, bate a mão), mas também nesse dia pude nadar com botos e ver a impactante, diferente e belíssima Vitória Régia.

Compre aqui o seu passeio para o Encontro das Águas em Manaus (link afiliado).

Degustação de vinhos na Toscana, na Itália

Por @jenifercarpani

Como me mudei recentemente para a Itália pouco mais de um ano – são várias as experiências inesquecíveis que tive por aqui – e ainda bem. E uma que talvez você goste muito de experimentar seja uma Degustação de Vinhos na Toscana uma das regiões que na minha opinião é das mais lindas por aqui. Talvez você venha passear pela Itália e entre em um ritmo frenético de museus, muitos passeios a pé e um monte de coisa para ver, visitar, fazer e conhecer – na primeira vez que vim à turismo eram uns 20km a pé por dia, sem exagero – e um dia de pausa vai te fazer bem. Vai por mim, agenda uma degustação de vinhos na Toscana – se você gosta da bebida, óbvio – e se deixe passar o tempo degustando vinhos, experimentando pãezinhos e azeites e se deliciando com o tempo que passa mais lentamente de vez em quando. Foi um dos momentos que cheguei perto de experimentar La Dolce Vita italiana e, se você for, depois me conta se gostou.

Sua degustação de vinho na Toscana pode ser comprada através desse link para ajudar o blog (afiliado).

Visita às necrópoles do Vaticano, na Itália

Por @jenifercarpani

Aaaah essa eu conto só para os meus melhores amigos – hahahhaa mentira, já citei rapidamente aqui no blog que nós fizemos. Essa é uma daquelas experiências que exige um grau de planejamento e de execução minucioso para que você consiga fazê-lo – mentira também, é só você ter sorte e mandar um e-mail bem antes para reservar hahahaha. Enfim, brincadeiras à parte, a visita às Necrópoles do Vaticano foram uma experiência bem única e que – por ser um grupo pequeno para a visita – você acaba tendo aquela sensação de “segredo” e de experiência VIP.

Basicamente nós tivemos a honra de conhecer o Vaticano “por baixo” – e isso é a primeira vez que conto aqui no blog. Visitamos a necrópole em 2018 e ela está localizada exatamente abaixo da Cidade do Vaticano. Você vai descendo e quando percebe, está andando embaixo da Basílica de São Pedro. É uma experiência inesquecível que, assim que puder, quero repeti-la. Foi um dos nossos pontos altos da viagem porque pudemos conhecer o resultado de escavações que aconteceram durante a década de 1940 e que chegaram o mais perto possível do túmulo de São Pedro. Por ali, foi possível vermos o que antes era um cemitério aberto que ficava fora de Roma e que foi completamente soterrado com o passar dos anos.

Não preciso me prolongar mais para dizer o quanto foi marcante. A energia ali dentro era bem diferente também, mas isso eu não sei explicar. Foi emocionante e foi inesquecível, então por isso está aqui na lista também.

Anúncios

Show de Fogos no Castelo da Cinderella no Magic Kingdom, nos EUA

Por @jenifercarpani

Eu sei que um roteiro por Orlando, ou Disney como a gente gosta de chamar no BR, é tipo um divisor de águas do tipo ame ou odeie né? Pois eu amo e já demonstrei mais de uma vez meu amor por aqui. Dito isso, trago aqui mais um tópico-clichezão igual o de Veneza. O show de fogos no encerramento no dia no Magic Kingdom (clica para ler), em Orlando, nos EUA, é sim um baita clichê. Mas gente, é inesquecível. Pelo menos para mim foi quando, ali com 21 anos, na minha primeira viagem internacional da vida, eu tive a oportunidade de presenciar.

À parte que eu pude presenciar o show de fogos lindíssimo que era o Wishes – me perdoem, mas não curti tanto o novo quando assisti em 2019 (clica para ler) – quando subiu a musiquinha-chave ali da Disney, que fala sobre sonhos que se tornam realidade, eu me arrepiei inteira. É aquela sensação de “puxa, como sou grata por ter chegado aqui”, não sei se você já sentiu isso, voyajante. Eu senti. Chorei sim e fiquei impressionada com a magia dos fogos de artifício. Sou fã. Fim!

Dá para comprar seus ingressos para a Disney no Get Your Guide e ajudar o blog a crescer, clique aqui para adquirir os seus!

ver o pôr do sol no Deserto do Atacama

Por @jeaninecarpani

O Deserto do Atacama foi um divisor de águas na minha vida. Por mais paradoxal – olha outra figura de linguagem aqui! – que isso possa soar, já que trata-se do deserto mais seco do mundo, é a mais pura verdade. Eu, que achava que só amava visitar cidades históricas e museus, vi-me diante desse gigante da natureza e o sentimento que se instalou dentro de mim foi arrebatador. Veja bem, eu ainda amo e me interesso por demais pelos grandes “por quês?” de tudo. Mas, quando se visita lugares como o Deserto do Atacama, as perguntas somem e o único sentimento que fica é “como eu sou pequena diante de tudo isso”. É energia pura! É acreditar – independente da sua fé – que existe uma força criadora por trás desse universo porque aquela perfeição à sua frente não pode ser apenas resultado de anos e anos e anos de acidentes geológicos, ventos, vulcões e tudo mais que a ciência consegue explicar. Só pode ser intenveção divina.

No post sobre o Deserto do Atacama aqui no blog (que você acha o link aqui!) eu listei seis razões para você incluir o destino na sua próxima viagem ao Chile e mostrei as atrações que tive a oportunidade de ver por lá. A minha preferida? O pôr do sol. Na verdade, foram dois finais de dia que ficaram marcados para sempre na minha memória, e olha que a viagem foi em 2016. O primeiro pôr do sol foi no Valle De La Luna e Valle De La Morte. Subimos em uma duna e sentamos ali para ver o Astro-Rei sumir no horizonte. Nunca me esqueci – e confesso que jamais me esquecerei – das cores. Infelizmente o celular da época não tinha a qualidade do atual, então as fotos que eu tenho daquele momento não são fidedignas. O segundo pôr do sol foi Ojos del Salar. A empresa que contratamos colocou a gente em cima do caminhão e fomos assistindo o evento no céu na medida que avançávamos o deserto sentido a um happy hour com pisco sour. Foi lindo demais brindar desse jeito.

Procurando por passeios no Atacama? Veja nossa sugestão do Get Your Guide! Ajude-nos a manter o blog!

Passar uma noite no Deserto do Saara

por @jeaninecarpani

Se alguém me dissesse lá atrás que eu conheceria o Deserto do Saara eu não acreditaria. E muito menos que eu passaria uma noite por lá. Eu riria. Eu debocharia. A gente tem esse costume de não acreditar, já pensaram nisso? Esses lugares que a gente vê nos filmes, nas séries, na te-le-vi-são e que parecem muito distante da nossa realidade, a gente rejeita automaticamente. É sonho que fala? Pois bem. Se você ainda faz isso com você mesmo e chegou até este post, apenas pare. E eu vou parar por aqui também porque este não é um post motivacional. Eu não tenho nem a capacidade de fazer isso, hahahaha. É um blog de viagens e esta é uma lista de experiências inesquecíveis. Visitar o Marrocos e pernoitar no maior deserto quente do mundo pode ser descrito desta forma, não é?

E engana-se quem imagina que passar uma noite no deserto é algum tipo de perrengue. Não é. Confesso que a viagem até o acampamento partindo de Marrakech não foi lá muito confortável porque são horas e horas na estrada. Mas, tudo bem. Compensa no final. Lá no acampamento, fomos recebidos pelo povo do deserto, assistimos o pôr do sol (mais um para a conta dos mais bonitos da vida até o momento!), jantamos, escutamos música e acordamos antes do sol nascer. E assistir o Astro-Rei subir no horizonte de uma duna foi de uma energia poderosa. As cores dos amanheceres são únicas e confesso que considero muito mais bonitas do que dos pores do sol.

O link para o post aqui no blog com a viagem completinha até o Marrocos está aqui. Ah! E esqueci de mencionar que é claro que a experiência também foi incrível porque o acampamento foi bem confortável. Existia estrutura. E tinha banheiro, gente. Com água quente e tudo mais. Luxo que fala? E se quiser um roteiro parecido, tem no Get Your Guide! Acesse neste link e ajude o blog a continuar!

Escutar pelo menos uma música dos Beatles no The Carvern Club

por @jeaninecarpani

Em 2018, durante a minha Eurotrip, descemos em Liverpool, na Inglaterra, para fazer um roteiro beatlemaníaco bem específico. E você pode conferir ele todinho e seus pormenores neste link. Eu e o Gian (aka marido) somos fãs da banda desde antes de nos conhecemos e, foi por causa de uma camiseta de uma das músicas do Fab Four (como também são chamados), que finalmente começamos a conversar. Papo vai e papo vem, já se foram 10 anos de história. Então, deu para sentir a importância do The Beatles na nossa vida, né?

E foi ao som de Hey Jude que nós descemos as escadas que levam para o subsolo do The Cavern Club e nos teletransportamos para os anos 60. Foi como uma espiral de tempo, uma viagem para uma das décadas mais importantes para o mundo da música. E, aquele palco e aqueles tijolinhos aparentes ouviram e presenciaram pelo menos 292 apresentações do The Beatles. Foi neste recinto que a banda conquistou seu primeito empresário. Foi ali que Ringo Starr se uniu ao grupo. Foi dali que o quarteto partiu para conquistar – brevemente – o globo e marcar, para sempre, muitas vidas.

Procurando por uma experiência beatlemaníaca? Tem no Get Your Guide! Acesse o link por aqui e ajude o blog a crescer!

Fazer uma Eurotrip

por @jeaninecarpani

E já que eu mencionei a Eurotrip aqui, por que não colocá-la como uma das experiências de viagem inesquecíveis? Afinal, foram 35 dias viajando direto com apenas uma malinha de bordo de 10kg. Começamos por Edimburgo, na Escócia, e fizemos uma excursão para o interior escocês. Depois entramos na Inglaterra e visitamos Liverpool, Manchester (com direito a visita ao Old Trafford, estádio do Manchester United), Londres, Bath e Bristol. Sem esquecer de mencionar a ida à Chatsworth House (que falaremos mais a seguir) e ao Stonehenge. E finalizamos o Reino Unido com Cardiff, no País de Gales. Depois, voamos para o Marrocos, no norte da África, para conhecer o Deserto do Saara. Voltamos para o Velho Continente por Amsterdã, nos Países Baixos, e de lá seguimos para Bruxelas, na Bélgica; Praga, na República Tcheca; Cracóvia, na Polônia; Budapeste, na Hungria; e, finalmente, a Islândia, a Terra do Gelo do Fogo.

Foi intenso? Foi. Faria de novo? Faria. Mudaria alguma coisa? Com certeza. Vivendo e aprendendo que fala, não é não? Essa experiência de viajar vários dias seguidos para lugares bastante diferentes entre si foi desafiadora, mas enriquecedora. É muito mais do que pegar umas roupas e vagar pelo mundo. É preciso planejar ao mesmo tempo que aceitar que nem tudo estará dentro do nosso controle.

Visitar Pemberley de Orgulho e Preconceito

por @jeaninecarpani

O primeiro contato que eu tive com Jane Austen e suas obras foi por meio do filme Orgulho e Preconceito (Pride and Prejudice), versão de 2005, dirigido por Joe Wright e estrelado por Keira Knightley e Matthew MacFayden. Lembro que tinha me interessado pelo trailer e depois fiz minha mãe alugar na locadora quando vi disponível na prateleira. Assisti várias e várias vezes antes de ter que devolver. Eu sei que esse trecho entregou a minha idade e está tudo bem, já aceitei. E um dos pensamentos que ficou comigo depois dessa maratona de um único filme foi: preciso ler esse livro e quero visitar essa casa. A primeira missão foi mais rápida e fácil de se resolver. Tornou-me uma fã. A segunda ficou comigo, no meu coração, até o dia que optei fazer um intercâmbio e escolhi a Irlanda pela sua proximidade com a Inglaterra (para ler sobre essa experiêcia, é aqui!).

Quando Chatsworth House, a residência que serviu de locação para o filme e que, reza a lenda, serviu de inspiração para a própria Jane Austen descrever Pemberley, a casa do Mr. Darcy de Orgulho Preconceito, despontou no final da estrada que percorríamos com o ônibus, eu senti. Foi um misto de emoção, com alegria e gratidão pela realização desse sonho. Lembro que o Gian até tentou falar algo comigo, mas quando olhou para mim, ele entendeu que aquele era um momento só meu.

Tomar um banho na The Blue Lagoon, na Islândia

por @jeaninecarpani

Conhecer a Islândia já foi inesquecível, incrível e indescritível. Sim, tem bastante adjetivo aí, mas é a verdade. E, para não acabar repetindo o post sobre o país quase que na íntegra (que você pode acessar aqui), escolhi uma das experiências por lá para ser a mais marcante. Foi, sem dúvida, entrar na The Blue Lagoon, uma piscina natural de água quente localizada dentro de um campo de lava, com temperaturas que chegam a até 40°C. Depois de passar frio por quatro dias na Terra do Gelo e do Fogo, entrar na água quentinha foi como um abraço necessário. Na verdade, foi exatamente essa a sensação. Foi delicioso e relaxante. Sem estresses, sem complicações e sem perrengues. Tudo que todos nós merecemos! Ah, e tem post só sobre a The Blue Lagoon também neste link aqui.

Os ingressos para a Blue Lagoon podem ser adquiridos no Get Your Guide! O link segue aqui.

Os campos nazistas de Auschwitz-Birkenau, na Polônia

por @jeaninecarpani

Para o bem e para o mal, inesquecível é literalmente “aquilo que não se pode esquecer”. Logo, a minha visita aos campos de concentração de Auschwitz-Birkenau entra na categoria de experiências memoráveis. Afinal, eu jamais me esquecerei da sensação de visitar esse lugar que foi o destino final de milhares de pessoas. Sim, milhares. Não existem palavras que descrevam a sensação de estar ali. E nenhuma frase pode definir as monstruosidades praticadas por lá. É frio, é cruel e a pergunta que fica na cabeça é “como pode?”. Durante toda a visita, faz-se silêncio. Nem o coração, apertado, bateu muito forte que era para não fazer barulho. Os olhos ficam querendo desviar. Era como se tivesse um grandessíssimo caroço na garganta e que fosse impossível engolí-lo.

Mesmo assim, recomendo a visita. A energia daquele lugar é tão pesada que ensina. Como disse George Santayana, “um povo que não conhece sua História está fadada a repeti-la”. É isso. Sem mais.

Lembrando que a visita aos campos de concentração é gratuita, mas é preciso gerar os ingressos com antecedência. Nós pagamos apenas o transfer para chegar e voltar de lá porque achamos mais cômodo do que pegar trem. Tem transfer no Get Your Guide para você ter noção de valores.


VIAGENS POR ESCRITO

Gostou deste post? Ele fez parte do grupo de blogagem coletiva chamado Viagens Por Escrito, que reúne blogs super bacanas que escrevem, mensalmente, sobre um tema em comum. Em novembro, o tema escolhido foi Experiências Inesquecíveis e se você também ama viajar e quer conhecer mais experiências como essas, aproveita para conferir as matérias dos outros blogs parceiros aqui embaixo! E para ver todos os posts aqui do Voyajando que já escrevemos para o Viagens por Escrito, clica aqui!

  1. Mundo Viajante – Viajar sozinha pela primeira vez
  2. Descobrir Viajando – As minhas viagens: momentos mais marcantes
  3. Experiência Barbara – 7 experiências incríveis de viagens pelo Brasil
  4. Classe Turista – Adeus Myanmar! Uma viagem incrível que ficou no passado
  5. Viaja que Passa – Destinos brasileiros únicos para uma experiência marcante


Anúncios

11 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s