Roteiro de Viagem: O que tem para fazer em Recife?

Quando o destino escolhido é Porto de Galinhas, muita gente deixa de lado a cidade de Recife, focando em curtir apenas as praias paradisíacas da vila de Ipojuca (escolha que eu entendo, rs). Se você está com tempo e em dúvida se deve encaixar no seu roteiro de viagem essa cidade, permaneça por aqui que eu vou contar para você o que tem para fazer Recife (visitamos a cidade em 2016).

Encaixei Recife e Olinda no roteiro quando fui para Porto de Galinhas. Nosso voo chegou por Recife e, já no primeiro dia, fomos direto para Maragogi, onde passamos duas noites. Por lá, fizemos o passeio das piscinas naturais e, no dia seguinte, partimos rumo à Ipojuca (contei minha experiência em Porto de Galinhas aqui).

Deixamos a cidade de Recife para o final da viagem em Pernambuco – onde ficamos apenas um dia inteiro, deixando a tarde para conhecer Olinda – ou seja, foi MUITO CORRIDO. Nos hospedamos na região da praia de Boa Viagem, o que considero uma boa escolha por conta da estrutura perto da orla (não se esqueça que lá não é um bom lugar para tomar banho de mar, por conta dos tubarões).

Nós bem novinhos visitando Recife pela primeira vez

Portanto, nossa passagem por Recife foi bem rápida! No entanto, acredito que ainda assim foi proveitosa. Mas com certeza um tempo a mais e nós conseguiríamos conhecer muito mais coisas por lá. A dica aqui é, se possível, não deixe para visitar Recife apenas em uma segunda-feira (como fizemos), porque muitos museus e atrações estão fechadas.

O que fazer em Recife:

Recife Antigo e Marco Zero

Já falei disso por aqui – acho – mas eu amo uma cidade histórica, um centro antigo, rs! Então me aventurar pelo centrinho da cidade a pé foi muito legal – e cansativo porque estava MUITO calor. Como disse aqui em cima, acabamos não nos planejando direito e deixamos para conhecer Recife em uma segunda-feira, quando muitas atrações turísticas estavam fechadas. Mesmo assim deu para ver bastante coisa.

Deixamos o carro próximo ao Marco Zero e começamos explorando Recife por ali, onde a cidade começou. Ali, além de explorar mais a história da cidade, também há algumas lojinhas de artesanato dentro do Centro de Artesanato.

Depois seguimos andando pelas ruas com casas coloniais e antigas vias de trem. Uma das ruas mais famosas é a Rua Bom Jesus, que traz um pouco da história da invasão dos holandeses no Brasil.

As casinhas em estilo antigo estão por todo o centro

Centro de Artesanato

Um galpão enorme cheio de obras de artesãos e artistas de Pernambuco. Super bem organizado, as pessoas expõem ali seu trabalho em argila, tecidos, madeira, couro e muito mais.

A visita ao Centro de Artesanato compensa demais, mesmo para quem não deseja comprar nada. É muito legal ver toda a criatividade exposta em cores, formas e materiais diversos e alegres.

Embaixada dos Bonecos Gigantes

Que o carnaval de Pernambuco é famoso ninguém contesta. Por isso a visita à Embaixada dos Bonecos Gigantes foi uma parada quase obrigatória para nós que amamos carnaval.

Lá pudemos conhecer um pouco mais sobre esse tipo de arte feito para comemorar a data na região (quem nunca ouviu falar sobre o famoso carnaval de Olinda, né?). Nessa embaixada podemos ver alguns dos mais famosos bonecões que desfilam pelas ruas durante a festa. São diversas personalidades retratadas ali, entre eles famosos, personagens de filmes, celebridades e políticos.

Capela Dourada

O apelido dessa capela não é a toa: o tom dourado está marcado por ali, simplesmente por ser trabalhos em ouro. Repleta de ornamentos, pinturas e esculturas, a construção da Capela Dourada contou com a ajuda de diversos artistas da região.

A arquitetura, aliás, é maravilhosa. Feita no estilo barroco-rococó. A visita foi muito legal, pudemos conhecer mais sobre a Ordem de São Francisco em um passeio guiado (praticamente exclusivo, porque o local estava bem vazio).

Casa da Cultura de Pernambuco

Até estranhei quando a Casa da Cultura de Pernambuco não apareceu em grande parte das pesquisas que fiz dos pontos turísticos de Recife para escrever esse post. Foi um lugar super bacana que conhecemos quando estávamos visitando a cidade. A antiga cadeia hoje se transformou em um centro de artesanato, onde cada cela é uma lojinha independente cheia de arte e cultura.

A estrutura dividida em alas é muito legal de conhecer e usamos boa parte do nosso tempo para visitar as celas que vendem os mais diversos tipos de artesanato.

Antes, o local era a Casa de Detenção do Recife, a mais importante penitenciária do estado durante mais de um século. O prédio é de 1855 e foi transformado em casa de cultura no mesmo ano em que a penitenciária foi desativada: 1973.

Meu pai passeando pela Casa da Cultura, em 2018

Praia de Boa Viagem

Ficamos hospedados na região de Boa Viagem que tem uma orla bonita e cheia de quiosques. Ela é também próxima ao Aeroporto Internacional de Recife, o que facilita também a hospedagem.

A praia também tem fama por outro motivo: tubarões. Por isso não me arrisquei  por o pé na água, kkkkk. Mas há muitas pessoas que nadam por ali. Dizem que a dica é não se aventurar além da barreira natural de recifes e ficar atentos à sinalização. Eu, ainda assim, prefiro deixar o mergulho para outras praias do estado.

Instituto Ricardo Brennand

Infelizmente não conseguimos visitar o Instituto Ricardo Brennand. Meus pais foram alguns anos depois e amaram a visita.

É um dos lugares mais bonitos de Recife, com muita arte e cultura, destacando o estilo clássico e colonial. Seu acervo cultural é único e a propriedade tem um castelo, uma biblioteca e uma pinacoteca.

Pertinho do Instituto, fica a oficina de Francisco Brennand (irmão de Ricardo). Francisco se tornou referência em cerâmica. É até possível combinar a visita aos dois locais no mesmo dia.

Há, em outro local, o Parque das Esculturas de Francisco Brennand, que também vale a visita – que pode ser feita com acesso de barco ou de carro.

Navegar pelo Rio Capibaribe

Eis outro passeio que não pudemos fazer – mas a gente deixa aqui que é para você se programar! Algumas pessoas chamam Recife de Veneza Brasileira, por conta dos seus canais que cortam a cidade (e a gente que andou a pé sabe a quantidade de pontes que cruzamos kkkk).

Meus pais fizeram esse passeio de navegar pelo Rio Capibaribe. O roteiro passa por baixo de cinco pontes, mostrando alguns pontos turísticos da cidade e apreciando as paisagens únicas de um outro ponto de vista. Legal né?

Meus pais contam que foi um passeio bem bacana navegar pelo rio e conhecer Recife de um outro ponto de vista

Outros pontos turísticos:

Como uma boa cidade litorânea que é, Recife está cheia de praias de águas mornas como a Praia da Maria Farinha, Praia da Piedade e Praia do Pina.

Também não pudemos visitar a Torre Malakoff (construída na Guerra da Crimeia, e hoje funciona como observatório e espaço cultural).

Museu Cais do Sertão é outro ponto turístico que ficamos devendo  (porque às segundas ele é fechado). O local conta de forma tecnológica a vida do povo sertanejo, com textos, música, fotografias e peças únicas.

O Museu Paço do Frevo (também fechado às segundas, ooo God kkkk), fica pertinho do Marco Zero e conta a história do frevo, que é um ritmo pernambucano.

Paço do Frevo em Recife

Gostaram de Recife? Fica aqui minha dica de realmente separar uns poucos dias se possível para conhecer esse lugar. Para mim, combina perfeitamente com a viagem de praia e descanso de Porto de Galinhas e você ainda tira um tempinho para conhecer um pouco mais da história e cultura do Brasil.

1 comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s