Roteiro Reino Unido: excursão para interior da Escócia

No segundo dia da minha Eurotrip de 35 dias para encerrar meu intercâmbio em Dublin, da Irlanda em grande estilo, continuamos na Escócia. Mas, ao invés de ficarmos por Edimburgo, tema do meu último post aqui no Voyajando Blog, seguimos para uma excursão de um dia pelo interior do país para ter um vislumbre do que são as famosas – e indescritíveis – Terras Altas – ou Highlands.

As Terras Altas escocesas

Também conhecidas como Highlands, as Terras Altas da Escócia são ricas em histórias, lendas e costumes. Como acabamos pousando em Edimburgo e seguiríamos nossa Eurotrip sentido Inglaterra, era inviável subirmos o país para conhecê-las para voltar no mesmo dia. E excursões bate-e-volta de um dia não seriam tão proveitosas por conta do tempo de deslocamento. Então, decidimos que as Highlands merecem uma viagem à parte e especial, só por elas. E, alô Escócia, estamos voltando em breve!

Por isso, o passeio escolhido foi West Highland Lochs, Mountains & Castles. Compramos os nossos bilhetes no dia da nossa chegada no centro de informações e ajuda aos turistas localizado ao lado da estação de trem Waverley Bridge. Lá você encontra diferentes opções de pacotes, passeios, valores e agências. Ou seja. Você faz exatamente aquilo que é do seu gosto e do seu agrado. Você pode falar com a atendente o que imaginou que ela dá sugestões também.

Eu, o Gian, o moço e o Castelo Doune

No meu caso, expliquei que queria conhecer o Castelo de Doune porque ele foi uma das locações do seriado Outlander na Escócia. Na produção, ele é o Castelo Leoch (Leoch Castle), lar do Clã Mackenzie e um dos primeiros cenários dos protagonistas Claire e Jamie Fraser. Ah, se quiser ler mais sobre isso, teve um post especial do #TuristandoNaQuarentena. A atendente até me falou no momento: “Nossa, os brasileiros gostam dessa série, né?” Hahahahaha

O Tour

Enfim, fechamos o tour West Highland Lochs, Mountains & Castles com a Timberbush Tours e gastamos, para duas pessoas, um total de 94 libras. Vale ressaltar que ingressos adicionais para as atrações não estão inclusos no valor. O que mais gostamos dessa empresa é a ideia de “motorista-guia”. Então ele vai dirigindo a van e vai sinalizando o que ele vai vendo no caminho e contando histórias tanto dos locais a serem visitados como da Escócia em geral. Foi um dia cheio de aprendizados!

Neste tour fomos sentido oeste. Passamos pelo Castelo de Stirling, paramos no Castelo Doune e seguimos vendo a paisagem incrível e indescritível das Highlands pela janelinha do veículo. Os destaques dos percursos são os belíssimos lagos. Outro parada é na cidade de Inveraray onde é possível (ou não, sua escolha) visitar o Castelo Inveraray. Aí, já voltando sentido Edimburgo, fizemos uma parada na beira do Loch Lomond, na vila de Luss. Todos esses nomes não dizem muita coisa agora, mas vamos aos detalhes neste post. Vem comigo!

Logo, importante frisar que existem paradas para comer, tomar uma café e usar o banheiro. E, em geral, como o tour foi feito de van e com poucas pessoas, não tivemos muitos problemas relacionados a atrasos, como já comentei em outras excursões que andei fazendo por aí.

Castelo Doune

A primeira parada do passeio West Highland Lochs, Mountains & Castles foi no Castelo Doune. Mas, calma, não foi apenas Outlander que usou a construção do século XIV como locação. Você pode ver a fortificação em produções como “Monty Python e o Cálice Sagrado” e “Game of Thrones”, onde deu vida a Winterfell. E não é à toa. O castelo, mesmo em ruínas, é considerado uma das construções mais conservadas da Escócia. Depois de comprar o seu ingresso, é só colocar o áudio guia e sair explorando. O mais legal? Tem explicações voltadas aos fãs de Outlander lidas pelo ator Sam Heughan, que interpreta Jamie Fraser na série. E a história do Castelo Doune você já viu no post do #TuristandoNaQuarentena.

Hairy Coo

Saímos do Castelo Doune e seguimos viagem. Foi na nossa próxima parada – que era mais para tomar um café e ir ao banheiro mesmo – que conhecemos as fofíssimas Hairy Coo. Essas “vacas cabeludas”, como são apelidadas são animais típicos das Terras Altas da Escócia. Seus pelos servem basicamente para sobrevivência em temperaturas baixas. Engraçadinhas, né? E claro que fizemos um álbum para elas.

Inveraray

Uma pequena cidade construída em meados do século XVIII à beira do Loch Fyne. Loch é a palavra gaélica para lago. Pegamos uma chuvinha no local, mas nada que tirasse o charme de suas construções brancas com detalhes em preto – que também recebe o nome de arquitetura escocesa georgiana. Ali ficamos livre para decidir se queríamos aproveitar a cidade ou visitar o Castelo Inveraray, a casa que pertenceu ao Duque de Argyll, chefe do clã Campbell. Nós não entramos. Decidimos ter um almoço mais gostosinho por ali.

Argyll Forest Park

De volta ao veículo, fizemos uma parada no topo do chamado “Rest and Be Thankful Pass” (que, em tradução literal, seria algo como Passagem do Descanse e Seja Grato) para fotografar. Cercado por montanhas, lagos e a Floresta Argyll, a via foi batizada por soldados por volta dos anos 1740 e divide Glen Kinglas e Glen Croe. Glen são vales em gaélico. Ela passava ali, no meio das Terras Altas, para facilitar o trânsito de tropas inglesas, principalmente após a rebelião jacobita.

Loch Lomond e Vila Luss

A última parada do tour é em Luss, uma vila localizada na costa oeste do Loch Lomond. Este último, de tão grande, parece até que chegamos à beira-do-mar. Na verdade, ele não é só o maior lago da Escócia, mas de toda Grã-Bretanha. Andamos pelo píer para tirar umas fotos e voltamos para pegar um café na loja de conveniência do posto onde a van estava estacionada prontos para seguir viagem.

Castelo de Stirling

A vida é feita de escolhas. Quando o tempo não está a favor, elas são ainda mais decisivas. E eu escolhi ir no Castelo de Doune para ver a casa do Clã Mackenzie de Outlander (pode me julgar, tudo bem!) e tive que deixar de lado a minha visita ao Castelo de Stirling, que é – ao lado do Castelo de Edimburgo – um dos mais importantes da Escócia. Ele esteve no centro da resistência do país contra o domínio inglês. Ficou famoso também pela história de William Wallace, retratada por Mel Gibson em Coração Valente (Braveheart, 1995).

Ele – William Wallace, não Mel Gibson – é considerado um dos maiores heróis da Escócia e deu para ver isso até pela forma como o motorista-guia falava sobre ele: o tom era de respeito, sabe? Nós, só fizemos uma parada na estrada para foto. Mas, em breve estaremos por lá de novo para desvendar todo o castelo. Amém!

Considerações finais

Recomendamos o tour? Sim, com certeza! Primeiro porque – como já mencionei em algum momento deste texto – foi um bom jeito de dar uma espiadinha de como são as Terras Altas da Escócia. Segundo, porque nem eu e nem o Gian tínhamos confiança para alugar um carro na mão inglesa. E, por último, o motorista-guia sabia MUITO sobre a história e a cultura de seu país. É válido ressaltar que eu sou a pessoa que dorme – e com muita facilidade, por sinal – em ônibus, van, carro e avião. Mas fiquei firme e forte só para escutar tudo o que ele tinha para dizer. E foi tão rico de informações que, aqui estou eu, escrevendo para você dois anos depois cheia de lembranças.

Estação Waverley Bridge

E foi assim que fechamos o primeiro capítulo – ou destino – da nossa Eurotrip. Próxima parada: Liverpool, na Inglaterra. Em breve! Continue acompanhando a gente por aqui e pelo nosso Instagram @voyajandoblog.


12 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s