O que você precisa saber antes de ir para Orlando?

Heeeey! Mais um post sobre a terra da magia que visitei novamente no fim de 2019. E esse é só o segundo da série de matérias diárias que estamos preparando para vocês, cheia de informações e dicas úteis para fazer a sua viagem ser ainda mais especial. Hoje trouxe aqui algumas coisas que você precisa saber antes de ir para Orlando.

Algumas são bem óbvias, outras nem tanto. Mas resolvi colocar tudo que lembramos e que é importante ter em mente para ter a melhor experiência possível – e isso também não quer dizer que você precisa seguir à risca, é só a maneira como a gente fez. Eu e o Bruno somos muito do time planejamento, então nossas viagens para lá começam a ser programadas com bastante antecedência, até para podermos aproveitar melhor tudo que os parques têm para oferecer. Então.. bora lá!

1. Conheça os parques

Parece piada, mas é sério. Nós, por exemplo, não tínhamos a menor noção de quantos parques tinham em Orlando, quantos da Disney, quantos da Universal, se íamos ou não nos do grupo Sea World, se queríamos conhecer as demais atrações de lá como o parque da Lego ou o Circo de Soleil. Enfim. Realmente saber exatamente o que você quer e espera da sua experiência em Orlando é importantíssimo para não se decepcionar por lá – ou ficar extremamente cansado (mais do que já vai ficar, rs).

Aliás, coloquei essa dica aqui no começo porque realmente acho ela importante até para fechar quantos dias você vai passar na cidade. Se vai combinar a experiência com Miami ou não, e por aí vai. Tenha em mente quais são os parques que você quer ir e, digo mais, saiba até o que tem mais ou menos em cada parque. Essa parte do planejamento é importante porque ela quem vai dar as bases para as próximas dicas aqui embaixo.

Para resumir, com base na nossa experiência, os parques mais famosos são:

Parques da Disney

São quatro parques temáticos: Magic Kingdom (que tem o castelo da Cinderela, com uma temática mais infantil, mas é aqui que rola o famoso show de fogos no fim do dia. Para mim, é o símbolo da Disney, hahahaha); Animal Kingdom (o parque que tem a árvore da vida, tem uma pegada mais animais, safari, Rei Leão.. é um parque incompreendido e muita gente deixa ele de lado, rs, mas eu amo. Além disso, é aqui que recentemente lançaram a área de Pandora, do Avatar); Hollywood Studios (ouso dizer que um dos meus preferidos. Tem algumas atrações mais radicais como a torre do terror e a montanha-russa do Aerosmith. Também recentemente inaugurou áreas bem concorridas como a do Toy Story e do Star Wars); Epcot (é o que tem como símbolo aquela bola enorme prateada. Também é incompreendido, rs, mas eu gosto bastante. Tem algumas atrações que falam sobre o futuro e vários pavilhões que homenageiam e representam diferentes países pelo mundo. Está passando por uma reforma grande).

Parques da Universal

Falando em parques temáticos, são dois: o Universal Studios (aqui tem o Beco Diagonal e várias atrações homenageando filmes específicos, como a Múmia, ET, Fast and Furious, Meu Malvado Favorito, Shrek.. e assim por diante) e o Universal Island of Adventures (meu preferido entre os dois, tem a área de Hogsmead e o castelo de Hogwarts, com a nova montanha-russa do Hagrid, a área do Jurassic Park, além da área de super-heróis, com a montanha-russa do Hulk).

Além disso, a Universal tem também o Volcano Bay, parque aquático que conhecemos nessa última vez que fomos e que adoramos.

Grupo Sea World

O grupo do Sea World possui três parques, sendo dois temáticos e um aquático: Sea World (inspirado na vida marinha e que tem, na minha opinião, as melhores montanhas-russas de Orlando – mas que também ficou famoso pelo show da baleia Shamu e de outros shows com animais); o Busch Gardens (na cidade próxima chamada Tampa, e que tem as atrações mais radicais – e que nós aqui simplesmente AMAMOS); e o Aquática (um parque aquático já antiguinho, que foi ótimo para podermos descansar da semana corrida que tivemos).

Outras atrações

Dizem que você precisa de muuuuuuuito tempo para dar conta de fazer tudo o que Orlando disponibiliza para os turistas. Além dos parques acima, há outros parques de diversão na cidade – como o próprio Lego e também tem o Discovery Cove, por exemplo, para nadar com golfinhos -; fora os roteiros de compras em outlets e shoppings e também as atrações à parte como o show do Blue Man Group, o Circo de Soleil, o Museu de Cera, a Orlando Eye e por aí vai. Enfim, por isso saber o que você quer fazer na cidade é tão importante para que a sua experiência seja realmente a melhor possível, e que todo o investimento que você está fazendo na viagem seja usado da melhor maneira para você. Faz sentido? Então bora para as próximas dicas!

No dia do Busch Gardens ainda demos um pulinho na Orlando Eye!

2. Leia sobre as atrações em cada parque

E se eu te convenci aqui em cima que saber quais parques você quer ir é importante, e se você quer levar a experiência do planejamento para um novo patamar: leia sobre as atrações em cada parque. E digo mais: você pode até já planilhar ou anotar o que é imperdível para você.

Principalmente se você está indo durante a temporada. Mas essa dica é importante mesmo para quem vai em meses mais tranquilos, pois corre o risco de pegar algum feriado ou fim de semana, quando os parques são mais cheios. Então veja o que é imperdível para você e o que “tudo bem” deixar para depois, ou para uma próxima se não der tempo mesmo.

Aliás, o “imperdível” também é muuuito relativo. Para mim, a prioridade é ir nas montanhas-russas e nas áreas do Harry Potter, por exemplo, e para você, pode ser a atração dos Simpsons (que eu não curto, kkkkkk). Então, por isso, achei importante colocar essa dica aqui. 

Potterhead de carteirinha

Você encontra informações sobre as atrações de cada parque nos sites oficiais, nos aplicativos dos parques (com mapa e tudo) e também em vários e vários sites especializados em Orlandoe muito bons – que existem por aí na web. (Nos nossos posts aqui do Voyajando também vamos colocar as principais atrações que fomos e isso já vai dar uma clareada boa no que tem em cada parque).

3. Saiba como administrar seu Dinheiro

Falei que ia ter dica óbvia, né? Mas com o dólar completamente instável e nossa moeda sendo bem desvalorizada, é importante você ter em mente que uma viagem para Orlando não é simples, financeiramente falando. Por mais que você decida não fazer compras em outlets e cortar todos os gastos desnecessários, é legal entender que, como sempre, alguns “investimentos” inesperados aparecem, tornando a conta final um pouquinho mais alta.

O ideal é você sair do Brasil já com os maiores custos quitados. Passagem aérea, hospedagem, carro (se for alugar) e, principalmente, os parques. Saiba quais são os que você quer visitar e, se possível, já feche tudo antes de embarcar para não se preocupar com isso por lá.

(((E se você está pensando em alugar um carro na sua viagem para Orlando, recomendamos a Rent Cars, parceira do blog)))

O dinheiro para levar para comer é muito, muito relativo. Claro que o céu é o limite para quem quer ter experiências gastronômicas e/ou visitar restaurantes super renomados. Mas, no geral e comparado a outros países por aí, comer em Orlando é “barato”. Você consegue achar combos de refeições por até 4 dólares (no Wendy’s, por exemplo, tinha uma promoção de 4 for 4, que eram quatro itens (lanche, batata, refrigerante e nuggets, se eu não me engano), por 4 dólares). Já comida mesmo pode ser encontrada em lugares como Panda Express (combos por sete dólares) ou até no Olive Garden (pagamos cerca de quinze ou vinte dólares por pessoa).

Claro que comer nos restaurantes dos parques é um pouco mais caro, chegando a 15 dólares um combo de sanduíche, por exemplo. Por isso mesmo, muita gente acaba indo para os mercados – como o Walmart – e comprando frios, pães, salgadinhos, e outras comidinhas para levar nos parques. Só veja antes se o que você está levando está de acordo com as regras dos parques para entrar (lembrando que todos revistam as bolsas e mochilas na entrada).

O nosso objetivo principal, como em toda viagem, é estabelecer um X por dia, por pessoa. E aí ir controlando no dia a dia se essa meta está sendo alcançada, para você não ter grandes surpresas no final. Nós, por exemplo, fizemos compra para a casa e tomamos café da manhã praticamente todos os dias dentro de casa mesmo. Aí nos parques, cada um optava por comer o que achava melhor – dentro da sua expectativa e do seu bolso, rs.

4. Baixe e utilize os Aplicativos dos parques

Baixe com antecedência os aplicativos dos grupos (Disney e Universal principalmente). É por eles que você consegue fazer as reservas dos restaurantes além de ter acesso ao mapa dos parques e também ao tempo de filas em cada um. No da Disney, o aplicativo é também essencial para o agendamento dos Fast Pass.

Aplicativo My Disney Experience

A dica parece meio óbvia, mas já conheci pessoas que não fizeram esse passo simples e acabaram ficando a mercê dos agendamentos e das decisões do grupo – porque é possível agendar para mais pessoas. Ou pior: que acabaram perdendo a oportunidade de agendamento do Fast Pass, por exemplo, por não saber que era possível ter o benefício “sem pagar”. E isso nos leva à próxima dica.

Aaaah, e só um adendo: a maioria dos parques – se não todos – têm wi-fi gratuito para usar. Então fique tranquilo se você não tem um chip internacional.

5. Entenda o Fast Pass e use o agendamento de restaurantes na Disney

O Fast Pass é um benefício de todo cliente Disney, seja você um hóspede dos hotéis ou não (quem se hospeda nos hotéis tem outros benefícios bem significativos, como a possibilidade de entrar mais cedo nos parques, poder agendar os Fast Pass antes e muito mais). O Fast Pass é para todos, acredite.

Resumidamente, ele permite que você faça três agendamentos para ir nos brinquedos, por parque. Depois de usar os seus três Fast Pass, você pode agendar mais um, e conforme usar esse um, mais outro, e assim por diante, de um em um. Para quem não está hospedado nos hotéis da Disney, o agendamento do Fast Pass abre um mês antes nos aplicativos. Ou seja, um mês antes da sua viagem, já é importante você ter em mente quais atrações quer ir e, se possível, já agendar o seu Fast Passa para elas.

Os benefícios são inúmeros. Principalmente quando você consegue Fast Pass para as atrações mais disputadas (o que é bem difícil, já que a galera que se hospeda nos hotéis tem direito a reservar primeiro). Ao invés de perder horas de fila, basta você ir no horário agendado até o totem de entrada da atração, passar o seu cartão de ingresso da Disney lá, e quando ficar verdinho, você entra na fila do Fast Pass e o que seriam horas de fila viram poucos minutos.

Estou explicando MUITO resumidamente o que é a arte de agendar um Fast Pass, kkkkk. Mas é para esse post não ficar muito grande. Sites como o Vai Pra Disney e Disney Guia, por exemplo, explicam muito bem e com mais detalhes quais são os pormenores dessa verdadeira saga que parece simples, mas precisa ser bem engenhosa e friamente calculada, kkkkk.

6. Faça uma Planilha

Alguns de vocês já devem saber que sou a louca das planilhas de viagem. Mas gente, é que facilita MUITO a vida. Ainda mais que estávamos em muita gente, então nos reunimos com antecedência para ajeitar a planilha para tentar fazer de uma maneira que fosse legal para todo mundo.

Planejamento é essencial para uma viagem dessas!

Aqui em cima resgatei a planilha dessa nossa última viagem de 2019 para vocês terem mais ou menos uma ideia. Ali a gente coloca os endereços dos parques – que hoje em dia com internet no celular é mais fácil, mas da primeira vez foi bem útil porque estávamos com GPS à antiga -, e o principal é mesmo o dia e horário das coisas.

Em Orlando acho que a planilha se faz ainda mais necessária porque existem muitas variáveis para visitar os parques. Tem o calendário de lotação dos parques, os horários em que eles abrem e fecham – que mudam de dia para dia. Somado à isso, ainda tinham dias que os parques fechariam mais cedo, por conta dos dias especiais de Halloween.

E se você ainda não ficou convencido, saiba também que há regras de visitação para o uso dos ingressos, por exemplo, se você comprou para dois parques da Disney apenas, você tem menos dias para usar os seus ingressos do que quem comprou para quatro parques, por exemplo. Agora eles especificam que você tem tipo, sete dias, para usar seus quatro ingressos antes não era assim.

7. Se prepare para andar muito e se cansar

Não, não é brincadeira. É muito sério. Os parques são grandes e você VAI ficar cansado no fim do dia. As viagens para Orlando são como uma maratona, ainda mais se você colocar vários parques cansativos (grandes e que têm shows de encerramento muito tarde da noite) em dias seguidos. Os outlets também são grandes. O Walmart também. Tudo lá é enorme e exige muitos passos das suas pernas, kkkkk.

E o preparo que eu digo é também psicológico, não é nem só físico!

As pessoas acham que é exagero, mas depois que vão, falam que eu tinha razão (hahahahahah depois vem aqui me contar se não é verdade), porque além do tamanho dos parques, dependendo da época do ano que você for, vai estar mega calor (já ouvi gente falando que a sola da Havaianas derreteu, rs), e você ainda passa um tempo de pé nas filas, né? Ou seja, esteja real preparado para ter paciência e também para tentar ao máximo manter a boa convivência do grupo, ou com as pessoas com quem você estiver.

E é de coração que eu digo isso, real. Essa é uma viagem muito esperada, às vezes é sonho de verdade de muitas pessoas. Não deixe que o cansaço e o ritmo acelerado das coisas estrague a sua experiência ou dos outros. Saiba que o cansaço vai vir mesmo que você se “previna” dele com um bom planejamento. Por isso, já tenha modos de lidar com ele à sua maneira! (Autoconhecimento é tudo, gente).

8. Roupas e sapatos confortáveis

Essa dica aqui se mescla à de cima. Já que você vai se cansar, e isso é fato. Reduza ao máximo as chances de ficar cansado já no começo por causa de uma roupa ou um sapato desconfortável, ou uma mochila muito pesada.

Para quem já frequenta ou frequentou os Playcenter, Hopi Hari, ou outros parques temáticos aqui do Brasil, já meio que sabe dessa dica. Mas é sempre bom reforçar. Até a orelhinha da Miney dá uma cansada no fim do dia no parque, então imagina se você estiver com várias roupas desconfortáveis ou carregando muita coisa? De novo, planejamento é tudo, até planejamento de moda, hahahahahaha.

Atenção: o post contém dicas importantes para aproveitar a terra da magia da melhor maneira! =)

ACHO que são essas as dicas que eu tenho para passar se você está indo para Orlando pela primeira vez. São coisas que eu gostei de saber antes de ir e outras que eu gostaria de ter ouvido quando fui. Se você conhece alguém que está planejando ir para lá, já aproveita e faça essa boa ação pela pessoa e manda essa matéria para ela.  Quem sabe você não salva ela de viver uns perrengues a mais?

E não esquece que a sequência de posts de Orlando aqui tá rolando diariamente. Então se você tem alguma dúvida ou quer saber mais sobre esse lugar incrível, fica por aqui. Aproveita e segue a gente lá no Instagram do Blog Voyajando para conversarmos mais sobre essa viagem.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s