Buenos Aires: dicas do que fazer na capital argentina

A proximidade física, o câmbio favorável e a facilidade de entrada – já que apenas o RG basta – fazem de Buenos Aires, a capital da Argentina, um dos principais destinos dos brasileiros. A cidade portenha é, aliás, a primeira viagem internacional de muita gente. E não é à toa. Ela oferece inúmeras atrações que agradam turistas de todos os estilos. Se você ainda não conhece o país hermano e está pensando nesta possibilidade, vem comigo! Confesso que para mim foi uma grata surpresa! E eis os porquês:

Antes de começar, deixe-me explicar o “grata surpresa”. Gian e eu decidimos ir para Buenos Aires por causa de uma promoção que encontramos de quatro trechos. Então saímos de São Paulo e descemos em Buenos Aires, ficamos cerca de uma semana, e saímos de Buenos Aires para Montevidéu. Mais uma semana. Depois, volta para o Brasil. 

O que fazer em Buenos Aires?

Eu poderia começar a sequência de “dicas de atrações” na capital da Argentina pela famosérrima Casa Rosada, a sede do governo hermano, localizada na icônica Plaza de Mayo. Ou o colorido El Caminito. Mas, não farei isso. Quando chegar em Buenos Aires, deixe suas malas na sua acomodação e vá direto para uma cafeteria. Prove uma medialuna. Pronto, é isso, a viagem já valeu cada centavo investido. Não é brincadeira, ô negócio gostoso! Eu nunca tinha experimentado e se me oferecessem, provavelmente, não teria comido já que nunca fui chegada em coisas “massudas”. Mas, medialuna é o que há! Principalmente a tradicional. Se bem que quando está acompanhada de um belo doce de leite – ou dulce de leche – também é incrível. Acabada as divagações, vamos ao que interessa!

Ande pela Avenida 9 de Julho, visite o Obelisco e tire uma foto com o letreiro BA

E você consegue fazer as três coisas juntas! Com 67m de altura, o Obelisco foi erguido em 1936 para comemorar os 400 anos da cidade. Reza a lenda que está no exato local onde antes havia uma igreja, a primeira em que a bandeira da Argentina foi hasteada. Localizado no cruzamento entre a Avenida 9 de Julho – que já foi considerada a mais larga do mundo com seus 140m – e a Avenida Corrientes, que conta com diversos teatros, o monumento está bem próximo a outra atração fotogênica: o letreiro de Buenos Aires.

As letras B e A não chamam atenção só pelo tamanho, mas por serem feitas de plantas. Isso vai de encontro com o que é comumente feito em outras cidades pelo mundo. Na verdade, a cidade de Buenos Aires como um todo é repleta de áreas verdes, principalmente nos bairros mais afastados do centro histórico. Não é à toa que muitas das atrações turísticas são parques. Vale destacar ainda as banquinhas de flores que adornam as ruas da capital portenha. É um charme!

Endereço: CORRIENTES AV. y 9 DE JULIO AV.

Visite o Teatro Colón

Começo a falar do Teatro Colón já pedindo desculpas pela qualidade das imagens que não condizem em nada com a beleza do lugar. Visitei Buenos Aires apenas com o celular que – como posso ver hoje – não tinha uma qualidade muito boa. Mas, voltando ao que interessa. Se você gosta de entrar em locais históricos e com uma bela arquitetura, eu não poderia recomendar o suficiente. Nós fizemos o tour guiado, mas há quem realmente assista aos espetáculos na casa. Com certeza, quando eu voltar, vou optar pela segunda opção. Afinal: o Teatro Colón é considerado um dos locais com a melhor acústica do mundo.

Inaugurado em 1908, o Teatro Colón possui arquitetura neoclássica e muitas de suas “partes” foram importadas da Europa. No tour guiado, visitamos as principais salas do edifício que possui interior luxuosíssimo. Para mim, o ponto alto, é a escadaria. Mas os camarotes, vitrais e salas anexas não deixam a desejar.

Endereço: CERRITO 618

Caminhe pela Rua Florida e visite a Galerias Pacífico

E a sugestão se mantém mesmo se você não estiver interessado em fazer compras. Ali é o famoso centrinho nervoso de Buenos Aires, onde estão lojas, agências de turismo, casas de câmbio, restaurantes e bares mais populares. Como a região atrai muitos viajantes, o assédio é alto para compra de passeios e troca de moeda. Mas, nada que atrapalhe. É por ali que você encontra também várias lojas de souvenires (mas, no El Caminito, tem mais).

A Rua FloridaCalle Florida – é na verdade um calçadão e muitas pessoas, inclusive, recomendam que você faça o câmbio por lá, já que as taxas são muito mais convidativas. Nós fizemos, e realmente, a diferença foi perceptível. Mas, atente-se. Trocamos em uma agência de câmbio e não com quem ficava abordando a gente na rua. Cuidado!

Em uma das esquinas está a icônica Galerias Pacífico uma atração a parte pela sua arquitetura e marcas internacionais. Construída para ser uma galeria de arte em estilo francês em 1889, é de tirar o fôlego. Ao entrar na galeria, não esqueça de olhar para cima. Seus afrescos são datados de 1940.

Endereço: CORDOBA AV. y FLORIDA

Circule na Plaza de Mayo

Essa histórica praça – a mais antiga da cidade – é circundada por importantes prédios argentinos. De um lado, a Casa Rosada, a sede do governo. Ao seu lado, a Catedral Metropolitana de Buenos Aires, agora ainda mais importante pela atuação do arcebispo Jorge Mario Bergoglio, o atual Papa Francisco. Tem também o El Cabildo, sede do governo do período colonial.

O local ganhou esse nome em homenagem à Revolução de 25 de Maio de 1810, que encaminhou a Independência Argentina. Ele é conhecido internacionalmente também pelo movimento político das Mães da Praça de Maio que se reúnem, todas às quintas-feiras desde a década de 70, para protestar e continuar a procurar por seus filhos desaparecidos durante a ditadura militar.

Endereço: YRIGOYEN, HIPOLITO AV. y BALCARCE

Casa Rosada

É a sede do governo argentino. É óbvio que o seu nome vem da coloração da sua fachada. Mas não é só isso. O rosado da Casa Rosada era, antigamente, proveniente de uma mistura feita de sangue bovino e cal. E isso é interessante, hahahaha. Mas hoje, é tinta normal mesmo.

Visitas guiadas são permitidas em finais de semana e feriados. É preciso fazer o agendamento antes. Devido a um problema, o site estava indisponível e tentei ir mesmo sem a reserva, mas não haviam mais lugares disponíveis no tour. Tudo bem, mais um motivo para voltar!

Endereço: BALCARCE 50

Catedral Metropolitana de Buenos Aires

Foi inspirada pelo Palácio de Bourbons, em Paris, e mistura estilos neoclássicos e rococó. Começou a ser construída em 1752 e passou por diversas renovações e adições ao longo da sua existência. Em 1942, foi declarada Monumento Histórico Nacional e considerada uma das obras arquitetônicas mais importantes da época da Colônia. Sua fachada possui 12 colunas que representam os 12 apóstolos de Jesus. É a sede da Igreja Católica na Argentina e possui hoje um museu em homenagem ao Papa Francisco que, de 1998 a 2013, era o arcebispo de Buenos Aires e encarregado de conduzir a Arquidiocese.

Endereço: RIVADAVIA AV. y SAN MARTIN

El Cabildo

Fundado em 1580, foi tanto sede da administração quanto prisão no período em que a Argentina era uma colônia espanhola. Sofreu com reformas e reparações ao longo dos anos e sua aparência, como está hoje, foi moldada por volta de 1725 a partir de um projeto do arquiteto italiano Andrés Blanqui. Hoje, é possível visitar o seu interior – Museu Histórico Nacional do Cabildo – e entender melhor as mudanças que ocorreram com o passar dos anos e sua importância para a história do país.

Endereço: BOLIVAR 65

E, ali pertinho, tem o Congresso Nacional

Considerado o quilômetro zero de Buenos Aires, o prédio começou a ser construído em 1898 e foi inaugurado em 1906. Sua cúpula é considerada uma das mais altas da cidade com seus 80 metros. Há a possibilidade de uma visita guiada lá dentro, mais informações no site da atração.

Endereço: ENTRE RIOS AV. y RIVADAVIA AV.

Floralis Genérica

De longe você enxerga a Floralis Genérica. É uma flor de aço inoxidável que, em teoria, abre-se durante o dia e fecha suas pétalas durante à noite. Criada pelo arquiteto argentino Eduardo Catalano, ela foi um presente do artista (é artista, né?) para a cidade e fica dentro da Plaza de las Naciones Unidas. Com 20 metros de altura, a Floralis Genérica tem 18 toneladas e recebeu esse nome como uma forma de homenagear todas as flores.

Quando fomos (na verdade, pelos relatos, já faz bastante tempo), não estava funcionando, mas não deixou de impressionar. Principalmente porque sua superfície de metal reflete o entorno. É linda!

Endereço: FIGUEROA ALCORTA, PRES. AV. 2301

Veja nossa Tarsila no MALBA

O MALBA é o Museu de Arte Latinoamericana. Fizemos questão da visita por dois nomes que fazem parte do acervo do lugar: Tarsila do Amaral – e seu Abapuru – e Frida Kahlo. Mas, além das duas musas, outros artistas de renome estão em exposição, como Lygia Clark e Diego Rivera. A coleção de arte do MALBA é da Fundação Costantini e possui cerca de 400 obras do século XX e exposições temporárias.

Endereço: FIGUEROA ALCORTA, PRES. AV. 3415

E se gosta de museu, vá também ao Museu Nacional de Belas Artes

É considerado um dos museus mais importantes da América Latina e com a maior coleção de arte da Argentina. Seu acervo – composto por mais de 12 mil peças – conta com obras de El Greco, Goya, Rodin, Rembrandt, Rubens, Renoir, Degas, Cézanne, Chagall e Picasso. O Museu Nacional de Belas Artes está dentro de uma construção que antes era a estação de água potável da cidade. Foi reformado em 1933 para receber o museu.

Endereço: DEL LIBERTADOR AV. 1473

Se impressione pelo Rosedal de Palermo

Confesso que visitamos o Rosedeal de Palermo despretensiosamente. Mas tornou-se, sem sombra de dúvidas, um dos meus pontos turísticos preferidos em Buenos Aires. É simplesmente lindo! Não há outra forma de descrevê-lo. Localizado no Parque 3 de Febrero, possui mais de 100 anos e conta com um lago, pontes, anfiteatro, esculturas e mais de 18.000 rosas de diferentes tipos espalhados pelos jardins. É claro que sua beleza está diretamente ligada à época do ano em que você vai. Fui em julho e já era impressionante. Não deixe de ir se você estiver na cidade na primavera.

Endereço: ISABEL, INFANTA AV. 900

Quem não gosta de Jardim Botânico?

Eu amo visitar jardins botânicos. Eles são sempre sinônimos de beleza e de tranquilidade. Podem ser vistos também como um ponto de paz em meio a um roteiro geralmente agitado. E o Jardim Botânico de Buenos Aires não é diferente. Ele tem mais de 7 hectares e 6.000 espécies vegetais do mundo inteiro. O destaque fica para os jardins de “estilos” diferentes: francês, romano e oriental. Se tiver tempo, vale a visita.

Endereço: SANTA FE AV. 3951

Se encante pelo Jardim Japonês

Localizado em Palermo, no mesmo bairro do Rosedal e do Jardim Botânico, o Jardim Japonês foi inaugurado em 1967 por conta da visita do imperador do Japão e sua esposa, Akihito e Michiko, a Buenos Aires. É uma atração paga e uma boa opção para quem gosta de passeios ao ar livre. O lugar é uma graça e super bem cuidado. O ponto alto é andar nas plataformas de madeira em cima do lago, bem como fotografar as pontes características da cultura oriental. Ele foi doado à cidade pela Associação Japonesa da Argentina em 1979.

Endereço:  CASARES AV. 3401 – é bem pertinho tem o Zoológico de Buenos Aires também. Mas nós não entramos.

Dê uma passada no El Ateneu

Hoje é uma livraria. Antes, um teatro. O mais legal do El Ateneu é que ele conserva sua estrutura antiga (de 1919) e hoje os camarotes são ocupados por estantes e livros dos mais variados gêneros. Lá no palco, atrás das pesadas cortinas avermelhadas, tem um café. Não se esqueça nunca de olhar para cima para ver os afrescos. É muito bonito! E ouso dizer que pouquíssimas pessoas realmente entram lá para comprar livros.

Ah, a livraria fica na Avenida Santa Fé, 1860. É uma das vias mais movimentadas de Buenos Aires e está repleta de lojas. Nós nos hospedamos em uma de suas travessas e foi ótimo porque tem muitas opções de alimentação, em qualquer horário do dia. E o centro fica a uma distância tranquila para se fazer a pé.

Tire uma foto com a Mafalda e seus amigos

Afinal, quem não gosta da Mafalda? Se você estiver na região ou passar pelo bairro de San Telmo, mais especificamente na esquina da Calle Chile com Calle Defensa, não deixe de visitar o banquinho e fazer aquela foto icônica com a Mafalda, Susanita e Manoelito, Os personagens estão ali desde 2014 por um pedido dos próprios moradores. Vale lembrar que os três foram criados pelo cartunista argentino Quino, que faleceu em 2020.

Endereço: CHILE AV. 371

Admire a beleza de Puerto Madero

Além de ser uma região bastante moderna de Buenos Aires e vibrante graças aos seus restaurantes e cafés à beira-rio, Puerto Madeiro conta com mais duas atrações turísticas em seu entorno: a Fragata Sarmiento, um museu que foi uma fragata da Marinha; e a Puente de la Mujer, uma ponte retrátil de 160m de comprimento que cruza o Rio Prata. Foi projetada pelo arquiteto espanhol Santiago Calatrava e construída em 2001. A inspiração do artista: um casal dançando tango.

Mas, nem sempre foi assim. Antes, Puerto Madero era isso: um antigo porto. Sua renovação só veio a partir dos anos 90 e envolveu diferentes empresas de arquitetura e urbanismo. Não é à toa que tenha ficado do jeito que ficou e seja hoje um dos metros quadrados mais caros de Buenos Aires.

Endereço: GORRITI JUANA MANUELA 900

Respire futebol em La Boca

Se você é fã de futebol, esse é o seu rolê. Em Buenos Aires também tem o estádio do River Plate, mas o Gian (aka marido) queria conhecer a famosa La Bombonera, a casa do time Boca Juniors. E, vai por mim, a mesma paixão que move o brasileiro pelo esporte, está no sangue argentino. A região La Boca onde está o estádio é uma explosão de amarelo e azul e pessoas – de amarelo e azul – perguntando qual é o seu time para fazer piadas e brincadeiras.

Inaugurado em 1940, o La Bombonera “possui uma estrutura em forma de ferradura, com três bandejas superpostas e um empinado ângulo de inclinação que o assemelha a uma caixa de bombons” (é o que diz o site oficial de Turismo em Buenos Aires). Daí o nome: La Bombonera.

No nosso tour, conhecemos os vestiários, a sala de imprensa, a arquibancada, o campo, seguramos uma réplica da Taça da Libertadores, tiramos fotos e ganhamos um porta-retrato de souvenir. Ah, e ao contrário dos outros estádios que conhecemos pelo mundo, onde um guia ia na frente explicando área-a-área, na casa do Boca Juniors, os funcionários só sinalizam para onde você tem que ir depois e você segue sozinho.

Endereço:  BRANDSEN 805 – ah, e vale ressaltar que dentro do estádio tem também o Museo de la Pásion Boquense (Museu da Paixão Boquense) que nós não entramos.

El Caminito

Ouso dizer que se você for a Buenos Aires e não for ao El Caminito, você não foi a Buenos Aires. Antes de ir, lembro de ler inúmeros relatos sobre “pega-turistas” nessa região. E, realmente tem. Mas, não deixe de ir por causa disso. Você vai ver que a região não é a mais desenvolvida da cidade e que as pessoas lá precisam do turismo para sobreviver. Então, vá e curta. Só fique atento. E se decidir tirar foto com o Maradona ou com roupas de tango, saiba que será solicitado dinheiro depois.

Reza a lenda que as famílias que viviam ali fugiram da região por conta de uma epidemia de tifo e suas mansões foram alugadas para imigrantes pobres que chegavam no país. A partir daí começaram a surgir os “coventillos”, ou cortiços, com paredes de zinco. Em 1959, foi batizado como Caminito em homenagem a um tango popular composto  Juan de Dios Filiberto e Gabino Coria Peñaloza.

Endereço: VALLE IBERLUCEA del, Dr. y MAGALLANE

Visite o túmulo de Evita Péron no Cemitério da Recoleta

O Cemitério da Recoleta é uma das principais atrações de Buenos Aires. Pode parecer estranho, mas o fluxo de visitantes tem motivo. É lá que está enterrada a ex-primeira dama Eva Perón, a Evita. Ela é reconhecida mundialmente por sua luta pelo direito das mulheres e ajuda social aos mais necessitados. Além dela, encontram-se também mausoléus de importantes figuras da história argentina, como o general Carlos María de Alvear e do general Juan Facundo Quiroga.

Endereço: JUNIN 1760

Ah, vá também na Feira da Recoleta!

Se você visitar Buenos Aires em um final de semana ou feriado e estiver com tempo, vá até a Feira da Recoleta. Ela é bem grande e fica nas Avenida Pueyrredon e Avenida Del Libertador das 11h às 20h. Dá para encontrar de tudo, mas os destaques são, é claro, os souvenires de viagem. Eu amo um artesanato então não poderia recomendar mais.

Assista um show de Tango

Já diria o ditado: quando em Roma, aja como os romanos. Visitar a capital do tango e não assistir uma apresentação de tango não parece certo. A dança é um orgulho nacional. É um investimento? Sim, é. Mas, como tudo na vida, você tem opções. Existem diferentes casas de apresentações na cidade, encontre a que faz mais sentido para você e desfrute. Nós fechamos o nosso tour direto no hotel que estávamos. Pedimos que a recepcionista nos sugerisse qual ela gostava mais e ela nos indicou o El Querandí. Ela explicou que tratava-se de um show menor, sem grandes luzes ou efeitos visuais, mais voltado para a dança em si. E nós amamos!

Parte desse amor está relacionado ao transfer de ida e volta incluso bem como o jantar com entrada, prato principal e sobremesa. Ah, e vinho!

Endereço: PERU 302

Dica Extra: Vá ao Café Tortoni

Fundado em 1858, o Café Tortoni é considerado o mais antigo da cidade. Mesmo com essa informação, confesso que fui graças a indicação de uma amiga (gracias, Rô) que assistiu o Show de Tango por lá. Como vocês já viram, não foi o meu caso, mas o local histórico merecia uma visita de qualquer forma. Tomamos um café e comemos deliciosos churros com doce de leite.

O Café Tortoni era o ponto de encontro de diversos intelectuais. Entre seus clientes de mais destaque estão nomes como os escritores Jorge Luis Borges, Luigi Pirandello, Federico García Lorca e Julio Cortázar, e músicos Arthur Rubinstein e o mítico Carlos Gardel. Este última tinha até mesmo uma mesa cativa no estabelecimento, longe das vistas de seus admiradores.

Endereço: DE MAYO AV. 825

DICA EXTRA: Distrito Arcos

A gente já sabe: o câmbio entre o real e o peso argentino é favorável para a moeda brasileira. Então, não é segredo para ninguém, que muitos vão para Buenos Aires para fazer compras. E se essa é a sua motivação não pode deixar de lado os outlets da cidade. Um deles é o Distrito Arcos, em Palermo, que conta com marcas nacionais e internacionais. Para lista atualizada, o melhor a fazer é ver direto o site deles.

Mas, o mais legal, é que o outlet – além das promoções, é claro – foi instalado dentro de antigos edifícios ferroviários. Então ele tem um estilo único de tijolos aparentes e fica bem pertinho de uma estação de trem.

Endereço: PARAGUAY 4979

DICA EXTRA: BATE-E-VOLTA EM COLÔNIA DEL SACRAMENTO, NO URUGUAI

Sim, ao visitar Buenos Aires, na Argentina, é possível ir também para Colônia del Sacramento, no Uruguai. As duas cidades são separadas apenas pelo Rio Prata e o trajeto pode demorar de uma a três horas, dependendo do serviço e da companhia contratada para a travessia. Os barcos saem de Puerto Madero. Mas, lembre-se: apesar da distância, é uma “viagem internacional”. Não esqueça de levar seus documentos e chegar com antecedência.

As atrações de Colônia del Sacramento você encontra neste post aqui. Eu fui de carro a partir de Montevidéu, porque já iria para o Uruguai de qualquer forma. Mas, hoje, eu faria o percurso de barco que, com certeza, deve ser muito mais especial do que pegar rodovia depois. E, acredite, um dia para Colônia del Sacramento é mais do que o suficiente.

DICAS DO CORAÇÃO:

Gian e eu não somos fãs de pegar transportes públicos. Sempre ficamos com aquela sensação de que estamos atrapalhando os locais em seus afazeres diários. E um pouco por causa disso, e um pouco porque andando a gente acaba “descobrindo” muito mais, nós sempre caminhamos. E em Buenos Aires, nós caminhamos muito. Cada bairro tem a sua peculiaridade e seu estilo, e ver a transição conforme se anda é muito interessante.

Mas, algumas atrações de Buenos Aires não são tão centrais. Então pegamos um dia do Buenos Aires Bus, que é o ônibus turístico deles para fazer os locais mais longes. Nossas prioridades eram o estádio do Boca Juniors – o La Bombonera – e o Caminito. Mas aproveitamos e fizemos junto San Telmo e o Puerto Madeiro.

Outra coisa que é importante salientar é a quantidade de aplicativos de celular que a cidade de Buenos Aires “oferece”. para os viajantes. Nós usamos o BA Wifi para encontrar pontos de conexão gratuitos na cidade e também baixamos o BA Turismo, que tem indicação de pontos turísticos e o BA Cómo Llhego, que funciona como um mapa (mas a gente preferia o Google Maps offline mesmo).

Por falar em apps,, para sair e voltar do aeroporto, nós usamos o Uber mesmo e foi bastante tranquilo. Algumas amigas haviam ido para Buenos Aires antes de nós e reclamaram dos taxistas. Então, fica aqui um alerta para sempre – não só na Argentina – tomar cuidado com rotas mais longas e desnecessárias bem como o troco caso o pagamento seja em dinheiro. Ninguém gosta de ser enganado, não é mesmo?


Gostamos de Buenos Aires? Sim! Principalmente por suas atrações turísticas. Não nos sentimos tão acolhidos ou tão bem quistos lá como em outras cidades e capitais que visitamos, mas a gente entende as diferenças culturais – pelo menos agora, rs – e está tudo bem. Esse post tem tudo o que a gente visitou e recomenda, mas se você tem mais tempo ou outro estilo de viagem, vale acessar o site oficial do turismo da cidade que é muito completinho.

Ficou com dúvidas? Faltou alguma atração neste roteiro? Manda uma mensagem para a gente e vamos prosear! E não esqueça de nos acompanhar também no Instagram @voyajandoblog.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s