Voyajando Gastronomia: a história do Vinho Madeira

Lá em casa a gente sempre teve um “barzinho” que, basicamente, era uma cantinho da casa – que depois tornou-se um armário – onde ficavam guardadas as bebidas do meu pai. Quer dizer, as bebidas que meu pai ganhava em ocasiões especiais e que não eram nunca consumidas. Até hoje, na real. São vinhos, licores, uísques, aperitivos, destilados… Geralmente importados que ganharam um espaço especial na exposição “barzinho”. Para o bem e para o mal. Já que cada vez que uma garrafa era colocada lá, era mais um artefato para minha mãe ou uma de nós – Jenifer e eu – “tirar o pó”. Mas, seguimos.

Jeanine, por que você está fazendo toda essa introdução? Porque uma das garrafas mais antigas do barzinho é um vinho madeira. Ele fica ao lado de um vinho do Porto. Ao longo dos anos, várias lendas giraram ao redor dessas bebidas. “Vamos abrir quando vocês se formarem na faculdade” ou “no casamento de uma de vocês”. Ambas ocasiões passaram, para nós duas, e as garrafas continuaram lá. Firmes e forte. Parece até que rindo de nós.

Por isso, o Voyajando Gastronomia de hoje vai falar dele, do vinho Madeira, uma das garrafas mais importantes do barzinho do nosso pai. E como já falei algumas vezes por aqui, eu amo vinho. Mas não sou nem um pouco capaz de falar tecnicamente sobre eles. Apenas “gosto” e “não gosto”. Por isso, passo a palavra para a assessoria de imprensa do turismo da Ilha da Madeira, local que produz essas famosas bebidas. Ela separou para a gente sete curiosidades sobre esse vinho português que você precisa saber antes da sua viagem para a região. Tá pronto? Vem comigo e cin cin!


#1 Tornou-se fonte de economia local por acaso

Foi no século 15 que as castas de uva foram introduzidas nas terras madeirenses, logo após a sua descoberta. A ideia era fornecer a bebida aos navios que seguiam para o chamado “Novo Mundo” e para as Índias, já que a Madeira era um ponto de parada dessas embarcações. A produção acabou se tornando uma das principais fontes da economia madeirense. Tanto que, atualmente, mais de 500 hectares de vinhas se misturam aos belos cenários do destino.

#2 As vinhas são cultivadas nas montanhas da ilha

Os cenários impressionantes da Madeira são uma paisagem improvável para o cultivo das uvas, mas isso não impediu que os colonizadores portugueses, há mais de 500 anos, investissem na atividade no litoral ou em encostas vulcânicas, em lugares, muitas vezes, de difícil acesso. Algumas vinhas são cultivadas a mais de 600 metros de altitude. Mas a riqueza do solo e a diversidade do clima se mostrou favorável para a criação de uma bebida que, com seus processos de produção de alta qualidade, se tornou única e uma das favoritas dos enófilos.



#3 Pode ter dois métodos de maturação

Diferente de qualquer outro vinho e desafiando as lógicas da enologia, o vinho Madeira pode utilizar dois métodos de maturação distintos. Na maturação com calor, o vinho é armazenado em tonéis de inox sob temperaturas entre 45 e 50o C durante um período de, no mínimo, três meses, simulando as condições a que eram submetidos durante as travessias oceânicas até as Índias, quando atravessavam duas vezes a linha do Equador. Há também o processo chamado canteiro, no qual o vinho é armazenado em barris de madeira por um período de dois anos, nos pisos superiores das adegas, onde a temperatura é mais elevada.

#4 Tem diferentes graus de doçura

É possível encontrar vinhos Madeira com diferentes graus de doçura, desde seco e meio seco até doce e meio doce, cada um associado a uma espécie de uva. Os vinhos doces são produzidos com a casta Malvasia, os do tipo meio doces são da casta Bual, meio secos com a casta Verdelho e os secos com a casta Sercial. Já a casta Tinta Negra é base da maior parte da produção, dada a sua versatilidade para produzir os quatro graus de doçura.



#5 O sabor é doce, mas o teor alcóolico é alto

O vinho Madeira tem alto teor alcoólico, podendo ultrapassar os 19%. Isso porque é fortificado, ou seja, recebe álcool vínico para barrar a fermentação. Sendo assim, funciona perfeitamente como aperitivo ou digestivo – ou seja, no começo ou final da refeição.

#6 É uma bebida imortal

Imagine provar um vinho centenário? Com longevidade incomparável, o vinho Madeira pode ganhar sabor ainda mais extraordinário com o passar dos anos. Algumas amostras chegam aos três séculos.


Anúncios

#7 Possui seu próprio festival

A Festa do Vinho é promovida no mesmo período em que são realizadas as vindimas. Depois do cultivo, que é feito à mão, das mais de 30 castas de uvas, o ritual da colheita é o próximo passo. Recriando hábitos ancestrais da ilha, são feitas vindimas ao vivo e, posteriormente, a pisa das uvas, em que qualquer um pode participar, tudo em um lagar tradicional, com clima de festa. Também fazem parte da programação as degustações de diversos rótulos, exposições de artesanato, shows de música, apresentações de folclore, harmonização de vinhos e pratos típicos, entre outras atividades relacionadas à bebida.


Gostou dessa notícia? Você pode encontrar outras como essa, relacionadas ao setor de viagens e turismo, na categoria “notícias” aqui do blog. Por lá, a gente posta tudo de mais legal que recebemos das assessorias de imprensa e das empresas do setor para você se manter atualizado e para ajudar a planejar sua próxima viagem. Só lembrando que, nem sempre, a gente conhece os serviços que são aqui divulgados. E isso não é um publipost! Acesse aqui para ver mais notícias!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s