Como planejar uma viagem para Orlando

Como toda e qualquer viagem, uma ida à Orlando exige planejamento. Aliás, para lá o planejamento tem que ser muito bem feito, tem que ser pensado e escrito antes. Você pode até tentar se jogar e ‘ver o que faz’ em cada dia que acorda, mas as chances de você deixar de conhecer uma atração ou perder um show é grande. Isso porque é importante e preciso ver antes quais os melhores dias para ir em cada um dos parques, em quais dias tem shows e quais não, contar os dias de parques para caber nos dias que você tem por lá, procurar endereços antes, enfim… é altamente recomendável você começar a viajar antes, pelo click do seu mouse, e deixar o seu planejamento afiadinho para o dia em que pisar na terra do Mickey.

Bom, antes de tudo para entrar nos Estados Unidos, você precisa estar com sua documentação ok. Passaporte e visto nas mãos? Então bora começar a planejar! 🙂

(Só para lembrar, esse e os próximos posts são relatos da minha experiência em 2014 – inclusive as fotos são dessa época e boa parte do texto foi escrito lá atrás também. Não se baseiem apenas no que escrevi. Antes de viajar a pesquisa é importante. Pesquisem tudo o que puderem sobre todas as viagens que forem fazer. É um ótimo jeito de começar a viagem meses antes de entrar no aeroporto e ainda ajuda muito.)

estradamiamiorlando
Estrada de Miami para Orlando. O céu azul e as nuvens fofas fazem parte do cenário diário por lá.

Fechar um pacote ou fazer tudo por conta?

Com a documentação em dia você pode ir atrás de sua viagem dos sonhos. Antes de fechar o pacote ou fechar tudo por conta própria, há alguns pontos que quem vai para Orlando pela primeira vez, precisa saber:

– Que dia pretendem ir? Que dia pretendem voltar? – Ou: qual o mês da viagem?
– Quantos parques vocês vão querer fazer? Vão querer repetir algum parque?
– Quantos dias pretendem – ou podem – ficar em Orlando?
– Vão alugar carro?
– Quantos dias vão deixar para compras?
– Vão para Miami?
– Preferem ir e voltar por Miami? (geralmente os voos para lá são mais baratos)

Enfim, essas são algumas das perguntas que o agente de viagem vai fazer para vocês, ou mesmo são informações que vocês devem saber antes de ir pesquisar para comprar a passagem e a entrada para os parques e também reservar a hospedagem e o carro por conta própria.

É legal fazer então uma pesquisa prévia sobre cada parque, para escolher qual vocês gostariam de ir. Fica muito mais fácil já saber de antemão quais você quer visitar, quais atrações quer ver, se gostaria de ir nos outlets ou não, se gosta dos parques aquáticos. Enfim, Orlando é um mundo à parte e tem muita coisa para fazer. A ideia aqui é começar a focar no que você deseja da cidade.

Após conhecermos mais ou menos os parques e escolhermos quais queríamos ir, resolvemos fechar a viagem.

Cartão postal do parque Magic Kingdom, não tem como passar pelo castelo sem tirar muitas fotos!

Na época, achamos que o melhor custo-benefício (após pesquisar bastante) foi: fechar passagens, carro e ingressos para o parque com uma agência de viagens, e a hospedagem em Orlando pelo Booking.

Só para saberem, nós fechamos oito parques e compramos um ingresso a mais para a Universal, completando nove dias de parques. Foram eles: os quatro parques da Disney (Magic Kingdom, Animal Kingdom, Epcot e Hollywood Studios), os dois da Universal (Universal Studios e Islands of Adventure), o Sea World e o Busch Gardens.

Já quanto ao carro, lembro que se o turista se hospedar em um dos hotéis da Disney ou da Universal, compensa pegar o transporte lá de dentro mesmo para os parques do complexo. Há também muitos hotéis que disponibilizam transporte gratuito para os parques da Disney e da Universal (o nosso disponibilizava). Mesmo assim, acho difícil a locomoção por lá sem carro e não recomendaria. Porém, vi no youtube e nos blogs muita gente que foi e se locomoveu pelos transportes dos hotéis, por ônibus e por táxi. Não sei realmente se compensa, vale a pena, de novo, pesquisar. Porém nós preferimos o carro e foi ótimo, pois nós íamos para todos os lugares no horário que queríamos e podíamos, por exemplo, sair do parque e ir direto para um Walmart ou jantar, sem ficar dependendo dos ônibus do hotel. Porém, uma coisa para ser levada em consideração é o preço do estacionamento dos parques, que costuma ser alto (em 2014 já era US$ 17).

Para o seu planejamento, leve também em consideração dias de descanso. Pode parecer exagero, mas me lembro que é uma dica que eu deveria ter seguido. Foram 12 dias em Orlando, sendo 9 dias de parques e um de outlet (e um para ir e outro para voltar de Miami). Traduzindo: não consideramos dias mais leves ou de descanso entre os parques mais cansativos. Some à isso a alimentação não tão boa (de lanches e refrigerantes). Uma hora a conta chega e na segunda semana de viagem já estávamos dispensando o café da manhã do hotel para poder dormir um pouco mais.

DSC_0026

Planilha

Munidos de todas essas informações, nossa forma de planejar uma viagem é com o nosso amigo excel. Abrimos uma planilha e vamos, de fato, estruturando cada dia da viagem, com todas as informações principais que achamos importantes. No caso de Orlando, uma planilha poderia ser:

  • Uma coluna para a data
  • Uma coluna com a programação do dia (chegar em tal lugar, fazer tal coisa)
  • Uma coluna com o endereço (dos parques, dos outlets)
  • Às vezes também podemos colocar uma coluna com dicas genéricas (ir em tal restaurante no parque, ou procurar por tal atração primeiro para evitar filas) e/ou outra com valores de ingressos (que no caso de Orlando, não fizemos porque já estavam pagos), ou com o horário de funcionamento

Tudo depende do estilo de viagem seu e das pessoas que vão com você. Se a planilha der certo, vocês podem até compartilhar com os seus companheiros de viagem, para todos estarem à par da programação diária da viagem, evitando até ‘atritos’ quando vocês estiverem cansados. Em grupos grandes, isso pode ser ainda mais importante, já que evita também atrasos, comprometendo a viagem de todos.

Quando ir?

Difícil afirmar as melhores datas para ir para Orlando. Muita coisa está envolvida, como  por exemplo a possibilidade de férias das pessoas que vão. Nós fomos em setembro e julgamos ser um ótimo mês, já que a maior fila que pegamos foi de 40 minutos e estava bem quente. Os meses mais cheios costumam ser mesmo os de férias, como agosto e dezembro.

Tem uma diquinha que ajuda no planejamento dos dias da viagem que é buscar pelo calendário de lotação. Se você procurar no Google, tem várias opções e todos vão dar uma ideia razoável dos dias em que os parques estarão mais cheios. Também é possível levar em consideração os dias em que os parques ficam abertos uma hora a mais – ou a menos – e também fique de olho nos dias que não têm shows (que são lindos e é uma pena se não der para você ver). Não indico um calendário específico, mas acho importantíssimo dar uma olhada em alguns, para poder escolher a melhor data.

Para ficar por dentro de mais dicas de viagens ou compartilhar experiências, acompanhe a gente também pelas redes sociais do blog. O Instagram é o @blogvoyajando e no Facebook estamos como Blog Voyajando.

8 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s