Palazzo Pitti

Construído para o banqueiro Luca Pitti, o Palazzo Pitti teve sua construção iniciada em 1457, atribuída a Brunelleschi. Seu tamanho ilustra a determinação de Pitti de superar a família Medici na ostentação de riqueza e poder mas, ironicamente, os próprio Medici compraram o palazzo quando os custos do edifício levaram os herdeiros do banqueiro à falência.Em 1550 tornou-se residência principal dos Medici, e todos os governantes da cidade viveram nela. Hoje seus inúmeros aposentos exibem mais tesouros e acervos dos Medici.*

A Galleria Palatina forma o núcleo central dos museus Pitti. Com Botticelli, Ticiano, Perugino, Andrea del Sarto, Tintoretto e outros, as obras acumuladas pelos Medici estão expostas segundo o desejo dos grão-duques: sem ordem cronológica ou divisão temática. São 11 salões principais – os primeiros cinco com afrescos no teto exaltando a família.

Além da Galleria, há também o Appartamenti Reali e outros acervos como o Museo degli Argenti (Museu da Prata), com objetos preciosos expostos, e a Galeria del Costume, que reflete as mudanças da moda na corte do fim do século XVIII até 1920.

Jardim de Boboli

Atravessando o Palazzo Pitti ainda pudemos conhecer os lindos jardins, chamado de Jardim de Boboli. Projetado para os Medici depois que compraram o Palazzo Pitti em 1549, é um lugar maravilhoso para descansar após a visita ao museu. Jardim no estilo renascentista, foi aberto ao público em 1766. Mais próxima ao palazzo está a parte mais clássica, com sedes podadas em padrões geométricos e simétricos. A vegetação conduz a bosques mais selvagens e no alto, acima dos jardins, o Forte di Belvedere, projetado em 1590 por Buontalenti, para os grão-duque Medici.

Endereço: Piazza della Signoria (entrada pela Via della Ninna)

*Fonte das informações: Guia Visual Folha de S. Paulo